OFFIDA, Itália, ano 1273

Esta Manifestação Sobrenatural também poderia ser chamada de Milagre Eucarístico de Lanciano II (número dois), porque embora denominado Milagre de Offida, na verdade aconteceu em Lanciano.

Giacomo e Ricciarella eram dois jovens recém casados que moravam na zona rural, bem próximo do subúrbio de Lanciano. Mas não viviam em harmonia e numa desejada comunhão amorosa. Ao contrário, revelavam incompatibilidade de gênios, principalmente pelo lado dele, que direcionava sua atenção exclusivamente ao trabalho. Não se conhece o motivo que o levou a proceder assim. Contudo, Ricciarella não concordava com aquela situação e se esforçava, reagindo contra uma série de pequenas ocorrências domésticas insignificantes, mas que ganhavam intensidade e cresciam estimuladas pelo mal-humor do marido, formando barreiras que interferiam de maneira preponderante no viver cotidiano do casal. Acrescente-se que Giacomo era por demais impulsivo e às vezes extremamente severo com a esposa, a ponto de se exaltar e partir para a agressão física.

Ricciarella resistia a tudo com muita bravura e paciência, procurando contornar todas as dificuldades. Ela só queria uma vida melhor para os dois.

Foi assim, que buscando conseguir um meio para converter o grosseiro gênio de seu marido, a fim de que o casal pudesse encontrar um pouco de felicidade e viver em paz, procurou os serviços de uma feiticeira.

A bruxa era famosa e segundo diziam, alcançava feitos admiráveis com a sua alquimia. Por isso mesmo, Ricciarella a procurou cheia de esperanças. A feiticeira lhe recomendou o seguinte:

“Receba a Sagrada Comunhão numa Igreja, mas guarde a Hóstia e leve-a para a sua casa. Coloque-a numa telha de barro em forma de canal para cozinhá-la ao fogo. Transforme-a em pó e vai colocando diariamente na sopa ou no vinho de seu marido. Depois de uma semana volte aqui para me contar o resultado. A transformação nele será visível e benéfica.”

A descrição feita pela feiticeira de como o seu esposo se sentiria sob os efeitos da bruxaria, deu a moça o impulso e a coragem que faltavam, deixando-a animada e até impaciente, com pressa em executar o trabalho.

Todavia, Ricciarella, do mesmo modo que seus pais e irmãos, foram criados na fé católica e por isso, ela sabia que o seu ato era um pecado mortal, um terrível sacrilégio. Então, não é difícil imaginar o quanto ela lutou contra a sua própria consciência, que lhe indicava o caminho do direito e da razão, antes de tomar a decisão de cometer o abominável ato. Mas ela repetia em sua mente para manter a coragem: “È necessário que eu faça isso para converter o meu marido...”

E assim decidida, entrou na Igreja. A Santa Missa já tinha começado. No momento da Comunhão foi receber JESUS acompanhando os fieis que estavam devidamente preparados e que se aproximavam da balaustrada de madeira que separava o Altar do povo. Assim que o sacerdote colocou a Sagrada Hóstia em sua língua, veio rapidamente para a entrada da Igreja e sem que ninguém percebesse, guardou o Santíssimo Sacramento.

 

 

Não esperou o fim da cerimônia. Imediatamente saiu e correu pelas ruas de Lanciano até a sua casa. Suas mãos tremiam vigorosamente. Assustada, mas repleta de emoção, pôs em ação a segunda parte do plano da feiticeira. Acendeu o fogo e encima acomodou uma telha de barro em forma de canal, igual àquelas que usamos nas cumeeiras das casas. Dentro da telha colocou a Hóstia e tratou de cozinhá-la. Entretanto, logo que a Sagrada Espécie foi deixada naquele utensílio, começou a sair uma densa fumaça. Ao redor da Hóstia Sagrada se transformou em Carne do SENHOR e começou a Sangrar profusamente, enquanto o centro da Pequena Partícula continuava com o aspecto das Hóstias que os fieis recebem na Santa Missa. A mulher ficou aterrorizada... Não sabia o que fazer... O Sangue da Hóstia já cobria o fundo da telha! Ela rapidamente apagou o fogo e jogou cera encima para cobrir o Sangue, a Carne e a Hóstia. Encheu o resto da telha com terra e ficou pensando o que devia fazer. Todavia o Sangue do SENHOR passou por entre a terra e apareceu na parte superior! Ela ainda mais assustada, pegou uma toalha de fibra e envolveu a telha com tudo. Mas onde colocá-la? Com uma ferramenta foi até o estábulo, cavou um buraco num local protegido. Era o cantinho onde a mula de seu esposo gostava de deitar. Ali enterrou a telha com a Eucaristia.

À noite, quando seu marido voltou do trabalho e deixou a mula próximo ao estábulo, observou que o animal ficou agitado e não queria permanecer ali. A mula não quis entrar no estábulo, como era o costume. Giacomo cansado, ansioso para descansar, vendo aquele comportamento esquisito do animal, tratou de empurrá-lo de qualquer jeito, para dentro do estábulo, aplicando-lhe inclusive algumas chicotadas. Diante da violência, o animal caiu com os joelhos e o peito no chão e permaneceu assim, imóvel no seu local preferido, quase numa posição de adoração. Giacomo espantado percebeu que algo havia acontecido, porque observou, o chão tinha sido recentemente escavado. Entrou em casa e logo ofendeu Ricciarella pelo estranho comportamento do animal, dizendo que ela era a culpada, que tinha feito algum feitiço e enterrado no estábulo. E extravasando sua ira, castigou a esposa com diversos golpes de chicote, que ainda mantinha em suas mãos.

Para ela, a vida se transformou num verdadeiro inferno a partir daquele momento. Além de sentir uma grande angústia por estar com a consciência pesada em face de seu grande pecado, sentia que a falta de paciência e os maus tratos de seu marido aumentaram de maneira insuportável.

E assim se passaram sete anos de um tempo difícil e penoso, porque tinha que esconder o seu segredo, suas angústias e seus sofrimentos, carregando viva em seu coração a maldita lembrança de um erro que lhe torturava a alma e a estava deixando em ponto de enlouquecer. Com a mente perturbada e mal organizada acreditava que os maus tratos que recebia de Giacomo faziam parte do castigo que DEUS lhe enviava por causa de sua transgressão. E assim, perdeu todas as esperanças em querer convertê-lo. Por outro lado, guardava uma imensa tristeza pelo crime imperdoável que cometeu contra o SENHOR. Logo contra ELE que nunca lhe fizera nenhum mal! Ao contrário, JESUS já lhe havia socorrido em diversas situações difíceis na vida! Por isso, estava envergonhada com o seu procedimento, chorava e sentia uma profunda angústia, pois pensava em reparar o mal que cometeu, mas não tinha coragem. Queria aproximar-se de um sacerdote para confessar o seu pecado e livrar-se daquela monstruosa culpa, mas imaginava coisas terríveis, como por exemplo, uma violenta reação do padre excomungando-a pelo absurdo pecado. E assim, decorriam os dias e ela não sabia o que fazer.

Entretanto, quando não suportou mais viver com aquela pena imposta por ela mesma durante sete longos anos, Ricciarella entrou em contato com Padre Diotallevi, que pertencia a Ordem de Santo Agostinho e era o Pároco em Lanciano. Arrependida e com o rosto banhado em lágrimas, confessou o seu grave pecado... O sacerdote surpreso e pasmo, a ouviu em silêncio, deixando que ela esvaziasse o coração. Depois, sem que ninguém percebesse, a acompanhou até a casa dela. Entraram no estábulo e cavaram no local. Quando o Padre encontrou a toalha e descobriu o que estava dentro, viu admirado que a Carne que sangrou e a parte central da Hóstia permaneceram incorruptas e perfeitas através dos anos, e que portanto, eram verdadeiramente o Corpo e o Sangue do SENHOR JESUS. Então, respeitosamente pegou a toalha manchada de Sangue e a telha de barro que continha a Carne, o Sangue e o centro da Hóstia Consagrada e levou-os para o Convento Agostiniano em Offida, uma cidade próxima.

Para justificar o seu procedimento, Padre Diotallevi disse que agiu assim por dois motivos: primeiro pensou na segurança do Milagre, tinha medo que malfeitores aparecessem ou que algum fanático quisesse destruí-lo por alguma razão inconfessável; segundo, porque ele mesmo residia no Convento em Offida. Depois, na continuidade dos dias, levou o fato ao conhecimento do Padre Miguel Mallicani, que era o Superior Geral dos Agostinianos e que diante daquela notícia, ficou vivamente interessado no assunto e não permitiu que o Milagre fosse levado para outro local. Em obediência a ordem de seu superior hierárquico, concordou em que o Milagre ficasse definitivamente em Offida.

Padre Mallicani mandou preparar uma Capela especial no Santuário de Santo Agostinho, que passou a ser conhecido como o Santuário do Milagre Eucarístico. O Milagre foi colocado dentro de um rico e precioso Relicário em forma de Cruz, feito em Veneza e pode ser venerado pelos fieis somente no dia 3 de Outubro de cada ano, data em que é festejado o acontecimento. Contudo, a "Telha de Barro" e a "Toalha de Fibra com manchas de Sangue do SENHOR", encontram-se disponíveis a visitação pública na Capela especial.

 

 

“NAJU, Coréia do Sul, 1985 a 1999”

Entre as dezenas de Manifestações Sobrenaturais Eucarísticas ocorridas em diversos países, temos que abrir um grande espaço para os acontecimentos em NAJU, porque sem dúvida foram espetaculares, sensacionais e impressionantes sobre todos os aspectos, além de misteriosos e reveladores, porque mostram o empenho e o zelo do CRIADOR em provar a Verdade Cristã. Podemos afirmar que o SENHOR verdadeiramente excedeu, ultrapassou todos os limites possíveis e imagináveis na escala da generosidade, e paternalmente realizou maravilhas extraordinárias e inesquecíveis, para que o mundo inteiro visse, compreendesse a grandeza e a disponibilidade do Amor Divino, e decidisse retribuí-lo buscando a conversão do coração.

Por essa razão, reverenciando a encantadora bondade Divina, decidimos divulgar com maior ênfase aquelas Manifestações do SENHOR, construindo um Site especialmente dedicado aos admiráveis acontecimentos em NAJU.

Nome do Site: “NOSSA SENHORA DE NAJU” (Milagres Eucarísticos)

Ele pode ser encontrado no seguinte endereço:

http://apostoladosagradoscoracoes.angelfire.com/index3.html

ou no endereço do PORTAL DO APOSTOLADO:

http://www.apostoladosagradoscoracoes.com/

 

 

Antecipando algumas notícias sobre o conteúdo do Site, informamos que é colocado em destaque uma apreciável quantidade de fotografias, que testemunham as ocorrência dos fenômenos sobrenaturais:

a)Por mais de vinte (20) vezes, em diferentes ocasiões, Julia Kim ao receber a Sagrada Comunhão na língua, durante a Santa Missa, a Hóstia Consagrada visivelmente se transforma em Corpo e Sangue do SENHOR na presença das pessoas abismadas e admiradas com o notável milagre. Chocados e repletos de emoção, muitos choram diante da realidade de ver bem a sua frente, a carne viva do próprio DEUS. Os padres e as pessoas que viram de perto o acontecimento milagroso atestam e testemunham o notável fenômeno com fervor e entusiasmo.

b)Da imagem de JESUS Crucificado que se encontra na parede da Capela de Naju, encima do Altar onde está a imagem de Nossa Senhora, por duas vezes Julia viu JESUS Crucificado ganhar vida, e das principais chagas, fluir o Precioso Sangue Divino que logo se transformou em Hóstias brancas e puras, que se desprenderam das chagas e caíram graciosamente, desviando das mãos de Julia que correu para ampará-las e se acomodaram sobre o Altar, aos pés da imagem da MÃE DE DEUS, diante do povo que superlotava a Capela, espantados e cheios de emoção. Quando as Hóstias tocaram o Altar as pessoas disseram que ouviram um barulho como se estivesse acontecendo uma chuva de granizo. Ali aos olhos de todos surgiram de súbito às sete lindas e perfeitas Hóstias que vieram das chagas das duas mãos, das chagas dos pés, da cabeça onde estava a Coroa de Espinhos, da chaga do lado direito onde o centurião romano cravou a lança que penetrou e atingiu o Coração do SENHOR saindo Sangue e Água.

c)Por duas vezes, Julia colhendo água em uma nascente atrás da Capela, apareceu no fundo da vasilha à imagem de uma Hóstia grande.

d)Sobre o telhado da Capela em Outubro de 1988 a luz solar formou a imagem de uma Hóstia grande encima de um Cálice. Existem muitas fotografias e filmes sobre o fenômeno.

Este pequeno texto tem a intenção de ser uma apresentação e um convite, para que seja visitado o Site “NOSSA SENHORA DE NAJU” (Milagres Eucarísticos) a fim de receberem também o benefício incomparável de conhecer esta impressionante manifestação do CRIADOR e usufruírem os benefícios que dele emanam.

 

Próxima Página

Página Anterior

Retorna ao Índice