PRIMEIROS ACONTECIMENTOS

 

VISÃO

“Eu, João, vosso irmão e companheiro na tribulação, na realeza e na perseverança em JESUS, exilado na Ilha de Patmos por causa da Palavra de DEUS e do Testemunho de CRISTO JESUS, no dia do SENHOR (domingo) fui movido pelo ESPÍRITO e ouvi atrás de mim uma voz forte, como de trombeta, ordenando: “Escreve o que vês num livro e o envia às sete Igrejas: Éfeso, Esmirna, Pérgamo, Tiatira, Sardes, Filadélfia e Laodicéia”. Olhei para ver quem me falava; “vi sete candelabros de ouro” e no meio deles, “alguém semelhante a um filho de Homem”, vestido com uma túnica longa e cingido à altura do peito com um cinto de ouro. Os cabelos eram brancos, como lã branca, como neve; e seus olhos pareciam uma chama de fogo. Os pés tinham o aspecto do bronze quando está incandescente no forno, e sua voz era como o estrondo de águas torrenciais. Na mão direita ELE tinha sete estrelas, e de sua boca saia uma espada afiada, com dois gumes. Sua face era como o sol, quando brilha com todo o seu esplendor”.

“Ao vê-LO, cai como morto a Seus pés. ELE, porém, colocou a Mão direita sobre mim, e disse:”“Não temas! EU Sou o PRIMEIRO e o ÚLTIMO, o VIVENTE (que possui a vida como coisa própria); estive morto, mas eis que estou vivo pelos séculos dos séculos, e tenho as chaves da Morte e do Hades (local onde ficavam os mortos, CRISTO tem poder de fazer sair do Hades os mortos). Escreve, pois, o que viste: tanto as coisas presentes como as que deverão acontecer depois destas. Quanto ao Mistério das Sete Estrelas que viste em Minha Mão Direita e os Sete Candelabros de Ouro (explico-lhe): as sete Estrelas são os “Anjos das Sete Igrejas” (Cada Igreja era governada por um Anjo Responsável. E a cada Anjo seria enviada uma carta. Contudo as Igrejas estão nas Mãos de CRISTO, sob o Seu Poder e Proteção), e os Sete Candelabros representam as Sete Igrejas”.

JESUS, o Messias apareceu com suas funções de Juiz Escatológico. Seus atributos são apresentados por meio de símbolos: “Sacerdote” (representado pela túnica longa);“Realeza” (pelo cinto de ouro); “Eternidade” (pelos cabelos brancos); “Ciência Divina” (olhos chamejantes para sondar os rins e os corações); “Estabilidade”(pés de bronze); “Sua Majestade é Terrificante” (brilho das pernas, do rosto, potencia da voz). ELE retém as Sete Igrejas (as Sete Estrelas) em seu Poder (Mão direita),e Sua Boca está pronta para lançar Seus Decretos Mortais (Espada afiada) contra os cristãos infiéis.

 

CARTAS ÀS IGREJAS DA ÁSIA

João, atendendo a ordem do SENHOR, escreveu às sete Igrejas que estão na Ásia:

“A vós graça e paz da parte d’ “Aquele-que-é, Aquele-que-era e Aquele-que-vem”, da parte dos “Sete Espíritos” (Sete Anjos) que estão diante do SEU trono, e da parte de JESUS CRISTO, a Testemunha fiel, o Primogênito dos mortos, o Príncipe dos Reis da Terra. ÀQUELE que nos ama, e que nos lavou (libertou) de nossos pecados com Seu Sangue, e fez de nós um reino de sacerdotes, unidos a CRISTO Sacerdote, para DEUS, Seu PAI. A ELE pertence à glória e o domínio pelos séculos dos séculos. Amém.

“Eis que ELE vem com as nuvens, e todos os olhos O verão, até mesmo os que O transpassaram, e todas as tribos da Terra baterão no peito por causa DELE.

Sim! Amém!”

“EU Sou o Alfa e o Ômega (primeira e última letra do alfabeto grego),diz o SENHOR DEUS, Aquele-que-é, Aquele-que-era e Aquele-que-vem, o Todo-Poderoso”. (Final do 1º Capítulo)

 

 

AS CARTAS

As Cartas que o SENHOR mandou João enviar a cada uma das Sete Igrejas: Éfeso; Esmirna; Pérgamo; Tiatira; Sardes; Filadélfia e Laodicéia, são conselhos e repreensões, no sentido de orientá-las a permanecer no caminho do direito, da justiça e do amor fraterno, suportando as tribulações, assim como, mantendo um corajoso, fiel e fervoroso amor a DEUS, sem renegar a fé, lembrando que ELE esta sempre presente, derramando o Seu Amor e a Sua infinita misericórdia, concedendo ao vencedor a coroa da vida. São também palavras de estimulo e de encorajamento.

Escreveu ao Anjo da Igreja de Éfeso: “Conheço tua conduta, tua fadiga e tua perseverança; sei que não podes suportar os malvados: puseste à prova os que se diziam apóstolos (provavelmente os nicolaítas), e não o são, e os descobriste mentirosos. És perseverante, pois sofreste por causa do meu Nome (alusão a uma perseguição passada), mas não esmoreceste. Devo reprovar-te, contudo, por teres abandonado teu primeiro amor. Recorda-te, pois, de onde caíste, converte-te e retoma a conduta de outrora, do contrário, virei a ti e, caso não te convertas, removerei teu candelabro de sua posição. (Éfeso poderá perder sua posição de metrópole religiosa). Tens de bom contudo, o detestares a conduta dos nicolaítas, que também EU detesto". (Éfeso era uma cidade muito importante, para lá confluíam as variadas correntes de pensamentos e religiões da época. Acontecia que muitos deturpavam o Evangelho com suas teorias e argumentos. Mas os chefes cristãos iluminados pelo ESPÍRITO SANTO souberam distinguir o erro e a mentira, buscando corrigi-los sem demora)."Quem tem ouvidos, ouça o que o ESPÍRITO diz às Igrejas: ao vencedor, conceder-lhe-ei comer da Árvore da Vida que está no Paraíso de Meu DEUS".

Ao Anjo da Igreja de Esmirna :“Conheço tua tribulação, tua indigência, és rico, porém! Existem as blasfêmias de alguns dos que se afirmam judeus, mas não o são – pelo contrário, eles são uma sinagoga de satanás! – Não tenhas medo do que irás sofrer. Eis que o diabo vai lançar alguns dentre vós na prisão, para serem postos à prova. Tereis uma tribulação de dez dias. Mostra-te fiel até a morte, e EU te darei a Coroa da Vida”. (Esmirna era um dos excelentes portos de mar do mundo antigo. João refere-se às calúnias dos judeus que procuravam tornar mais tensas as relações entre os cristãos, o povo e as autoridades locais).

À Igreja de Pérgamo: “Sei onde moras: é onde está o trono de satanás. Tu, porém, seguras firmemente o Meu Nome, pois não renegou a Minha fé, nem mesmo nos dias de Antípas, Minha testemunha fiel, que foi morto junto a vós, onde satanás habita. (Com a permanente realização do Culto aos Imperadores Romanos). Tenho, contudo, algumas reprovações a fazer: tens aí pessoas que seguem a doutrina de Balaão, o qual ensinava Balaq a lançar uma pedra de tropeço aos filhos de Israel, para que comessem das carnes sacrificadas aos ídolos e se prostituíssem (atraindo-os a idolatria). Do mesmo modo tens, também tu, pessoas que seguem a doutrina dos nicolaítas. Converte-te, pois! Do contrário, virei logo contra ti para combatê-los com a espada da Minha Boca”. (A cidade estava construída no alto de uma colina que dominava o vale, onde existiam templos famosos e uma biblioteca com mais de 200 mil volumes. Anualmente era prestado culto ao Imperador Romano. Como os cristãos não prestavam tal culto eram considerados subversivos e traidores. Por outro lado, Balaão era um adivinho, que foi chamado pelo rei Balaq para amaldiçoar o povo israelita. Todavia, segundo uma tradição judaica, Balaão aconselhou ao rei a conseguir a destruição do povo judeu por meio da idolatria e da imoralidade). Quem tem ouvidos, ouça o que o ESPÍRITO diz às Igrejas: ao vencedor darei do maná escondido, e lhe darei também uma pedrinha branca, uma pedrinha na qual está escrito um nome novo, que ninguém conhece, exceto aquele que o recebe.

Para a Igreja de Tiatira, JESUS acrescentou:"Conheço tua conduta: o amor, a fé, a dedicação, a perseverança e as tuas obras mais recentes, ainda mais numerosas que as primeiras. Reprovo-te, contudo, pois deixa em paz Jezabel, esta mulher que se afirma profetisa: ela ensina e seduz os meus servos a se prostituírem, comendo das carnes sacrificadas aos ídolos. Dei-lhe um prazo para que se converta; ela, porém, não quer se converter da sua prostituição. Eis que vou lançá-la num leito de doença, e os que com ela cometem adultério numa grande tribulação, a menos que se convertam. Farei também com que seus filhos (os que seguem a sua doutrina) morram, para que todas as Igrejas saibam que sou EU quem sonda os rins e o coração (conheço os pensamentos e o íntimo de cada um); e a cada um de vós retribuirei segundo a vossa conduta. Quanto a vós, porém, os outros de Tiatira que não seguem esta doutrina, os que não conhecem as profundezas de satanás, como dizem, (é o modo irônico escolhido por São João para se referir às pretensas revelações de profundos segredos espalhados por Jezabel e seus seguidores) declaro que não vos imponho outro peso; o que tendes (sua fé em JESUS), todavia, segurai-o firmemente até que EU venha". - “Ao vencedor, ao que observar a Minha conduta até o fim, conceder-lhe-ei autoridade sobre as nações; com cetro de ferro as apascentará, como se quebram os vasos de argila, (diante DELE os maus não resistem: aguentam menos do que um pote de barro) e também conforme EU recebi de MEU PAI. Dar-lhe-ei ainda a “Estrela da manhã” (autoridade e glorificação). (Tiatira era considerada uma cidade industrial e isto levou ao aparecimento de associações profissionais, semelhantes a sindicatos, as quais além das suas reuniões comerciais, realizavam festas que terminavam em orgias. E como cristãos também participavam, começou a trazer sérios problemas a Comunidade. Pela carta de João parece que o grupo era orientado por uma senhora da alta sociedade, conhecida por "Jezabel". Talvez este não fosse o seu nome, mas foi escolhido por João para lembrar aquela outra Jezabel do Antigo Testamento esposa do rei Acab, que levou o povo judeu para a infidelidade).

Ele escreveu ao Anjo da Igreja de Sardes: “Assim diz AQUELE que tem os “Sete Espíritos de DEUS” (São os Sete Anjos) e as “Sete Estrelas” (As Sete Igrejas). Conheço a tua conduta: tens fama de estar vivo, mas estás morto. (Sardes era a capital de um reino poderoso e estava construída em cima de um rochedo muito alto, com precipícios que tornava impossível ser escalada por malfeitores e bandidos. Acontece que depois de fracassadas tentativas os inimigos encontraram um jeito de subir pelos paredões rochosos e destruíram a cidade. Esta realidade deve ser considerada para entender corretamente a carta de João. As recomendações continuaram):"Torna-te vigilante e consolida o resto que estava para morrer, pois não achei perfeita a tua conduta diante do meu DEUS. Lembra-te, portanto, de como recebeste e ouviste, observa-o, e converte-te! Caso não vigies, virei como um ladrão, sem que saibas em que hora venho te surpreender. Contudo há pessoas que não sujaram as suas vestes (pelo pecado), elas andarão comigo “vestidas de branco” (a Cor Branca simboliza pureza), pois são dignas. O vencedor se trajará com vestes brancas e EU jamais apagarei seu nome do Livro da Vida. Proclamarei seu nome diante de MEU PAI e dos Seus Anjos.

A Igreja de Filadélfia, o SENHOR também disse: “Conheço tua conduta: eis que pus à tua frente uma porta aberta (para exercitar o teu apostolado) que ninguém poderá fechar, pois tens pouca força, mas guardaste Minha Palavra e não renegaste Meu Nome. Vou entregar-te alguns da sinagoga de satanás, que se afirmam judeus mas não são, pois mentem; farei com que venham se prostrar aos teus pés e reconheçam que Eu te amo. Visto que guardaste minha palavra de perseverança, também EU te guardarei da hora de tentação que virá sobre o mundo inteiro, para colocar à prova os habitantes da Terra. (No Apocalipse a “terra” é sempre o mundo pagão. Por outro lado, aquela região era propícia a terremotos, que inclusive já haviam ocorrido, tendo ocasionado severas destruições). Venho logo! Segura com firmeza o que tens, para que ninguém tome a tua coroa. (Por isso, recomendava, não devem se desesperar) Quanto ao vencedor, farei dele uma coluna (imagem da firmeza e da estabilidade) no templo do Meu DEUS, e daí nunca mais sairá. Escreverei sobre ele o nome do Meu DEUS e o nome da cidade do Meu DEUS, a Nova Jerusalém, que desce do Céu, de junto do Meu DEUS, e o meu Novo Nome (seja um nome que só será conhecido na Parusia ou seja o nome do VERBO ENCARNADO). Quem tem ouvidos, ouça o que o ESPÍRITO diz às Igrejas.

Ao Anjo da Igreja de Laodicéia : “Conheço tua conduta: não és frio e nem quente. Oxalá fosse frio ou quente! Assim, porque és morno, nem frio e nem quente, estou para te vomitar de minha boca. Pois dizes: sou rico, enriqueci-me e de nada mais preciso. Não sabes, porém, que é tu o infeliz: miserável, pobre, cego e nu!” (A nudez espiritual de Laodicéia está em contraste com sua prosperidade e suficiência). Aconselho-te a comprar de Mim (as verdadeiras riquezas da vida espiritual) ouro purificado no fogo para que enriqueças, vestes brancas para que te cubras e não apareça a vergonha da tua nudez, (ausência de fé e pobreza de espírito) e um colírio para ungir os teus olhos e possas enxergar. (Alusão às especialidades de Laodicéia, pois lá fabricavam vestes bonitas, como também um pó especial para curar os olhos) Quanto a MIM, repreendo e educo todos aqueles que amo. Recobra, pois, o fervor e converte-te! Eis que estou à porta e bato: se alguém ouvir a MINHA Voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e cearei com ele, e ele comigo (Intimidade com JESUS, prelúdio do festim messiânico). Ao vencedor, concederei sentar-se Comigo no MEU trono, assim como EU também venci e estou sentado com MEU PAI em SEU Trono.

Cada missiva é concluída dizendo: “Quem tem ouvidos, ouça o que o ESPÍRITO diz às Igrejas”. (Fim do 2º e 3º Capítulos)

 

 

AS VISÕES PROFÉTICAS

PRELÚDIOS DO “GRANDE DIA DE DEUS"

Sentado em seu trono, DEUS é glorificado por sua corte celeste. Depois o horizonte se estende ao universo, e João irá nos mostrar como o Plano Divino se realizará no futuro, vencendo todas as oposições. Entretanto não podemos esperar encontrar no Apocalipse o anuncio preciso dos acontecimentos da Parusia, vamos encontrar sim, uma mensagem de esperança onde podemos visualizar a bondade misericordiosa do SENHOR DEUS em todas as ocorrências, conduzindo a humanidade à vitória final. O destino dos habitantes da Terra são entregues ao Cordeiro Redentor, NOSSO SENHOR JESUS CRISTO, sob a forma de “um Livro Selado”.

Depois disso (o Apóstolo João continua descrevendo) tive uma visão: havia uma porta aberta no Céu e Aquela voz como trombeta que ele ouvira, disse:"“Sobe até aqui, para que EU te mostre as coisas que devem acontecer depois destas”. “Fui imediatamente movido pelo ESPÍRITO: eis que havia um trono, e nele Alguém sentado”... (João respeitosamente não menciona o nome de DEUS) “O que estava sentado tinha o aspecto de uma pedra de jaspe e cornalina, e um arco-íris envolvia o trono com reflexos de esmeralda. (DEUS PAI CRIADOR sempre é apresentado revestido de muito esplendor e glória) Ao redor desse trono estavam dispostos 24 tronos, e neles assentavam-se 24 Anciãos, vestidos de branco e com coroa de ouro sobre a cabeça. Do trono (trono de DEUS) saiam relâmpagos, vozes e trovões, e diante do trono ardiam sete lâmpadas de fogo: São os Sete Espíritos de DEUS” (os Anjos da Face, que são os enviados de DEUS). À frente do trono havia como que um mar vítreo [(águas superiores conforme a Criação em Genesis (Gn 1,7)] semelhante ao cristal. No meio do trono e ao seu redor (Ao redor do trono de DEUS) estavam Quatro Animais, cheios de olhos pela frente e por trás”. [(que indicam Ciência Universal, Sabedoria, Conhecimento e a Providência Divina) (Eles são os quatro Anjos do SENHOR que presidem o Governo do Mundo) (Esses quatro seres lembram o poder do SENHOR sobre toda a criação, a sua providência que tudo governa com sabedoria e imediatamente socorre todas as necessidades]. "O Primeiro Animal é semelhante a um "Leão"; o Segundo Animal a um "Touro"; o Terceiro tem a face como de "Homem"; o Quarto Animal é semelhante a uma "Águia" em vôo. Os quatro animais têm cada um seis asas e são cheios de olhos ao redor e por dentro. Dia e noite, sem parar, eles proclamam: “SANTO, SANTO, SANTO é o SENHOR, DEUS Todo-Poderoso, Aquele-que-era, Aquele-que-é, Aquele-que-vem”. (A grandeza Divina é reconhecida por todos) Cada vez que os Anjos davam glória, honra e ações de graças a DEUS, os 24 anciãos se levantavam e se prostravam diante Daquele que estava colocado no trono (DEUS) tirando a coroa que usavam, para adorar Aquele que vive pelos séculos dos séculos e proclamavam”: “Digno és TU, SENHOR e DEUS nosso, de receber a glória, a honra e o poder, pois TU criaste todas as coisas; por TUA Vontade elas existiram e foram criadas”). (Final do 4º Capítulo)

 

 

O LIVRO

“Depois, vi na mão direita Daquele que estava sentado no trono (DEUS), um livro escrito por dentro e por fora, e selado com sete selos. (O livro contém os decretos Divinos concernentes aos acontecimentos dos Últimos Tempos). Vi então um Anjo poderoso proclamando em alta voz:“Quem é digno de abrir o livro, rompendo seus selos?” Mas ninguém no Céu, nem na Terra ou sob a Terra (no Hades), era capaz de abrir ou de ler o livro. Eu chorava muito, porque ninguém foi considerado digno de abrir ou de ler o livro. Um dos Anciãos me consolou dizendo”: “Não chores! Eis que o Leão da Tribo de Judá, o Rebento de Davi venceu (Satanás e o mundo) para poder abrir o livro e seus sete selos”. Com efeito, entre o trono (de DEUS) com os Quatro Animais ao redor (ou seja, os Quatro Anjos do SENHOR) e os Anciãos, vi um Cordeiro de pé, como que imolado (foi imolado para a salvação do povo eleito). Tinha Sete Chifres (Temos que interpretar corretamente. Não significa dizer que o Cordeiro se apresente daquela maneira simbólica com chifres, mas sim que possua todas aquelas qualidades em plenitude que eles representam. Assim os chifres = símbolo de poder) e Sete Olhos (olhos = símbolo de conhecimento e de sabedoria, que CRISTO possui em Plenitude; a plenitude = é também um símbolo, representado pelo número 7) que são os Sete Espíritos de DEUS enviados por toda a Terra. ELE (o Cordeiro) veio receber o livro da mão direita Daquele (de DEUS) que está sentado no trono. “Ao receber o livro, os Quatro Animais (os Quatro Anjos do SENHOR) e os Vinte e Quatro Anciãos se prostraram diante do Cordeiro, cada um com uma harpa e taças de ouro cheias de incenso, que são as orações dos Santos, cantando um canto novo”:

“Digno és TU de receber o livro e de abrir os seus selos,

pois foste imolado e, por TEU Sangue resgataste para DEUS

homens de toda tribo, língua, povo e nação.

Fizeste de nós, para nosso DEUS, um Reino de Sacerdotes,

e nós reinaremos sobre a Terra”.

“Em minha visão ouvi ainda o clamor de uma multidão de Anjos que circundavam o trono, os Animais  (os Quatro Anjos do SENHOR) e os Anciãos – seu número era de milhões de milhões e milhares de milhares de Anjos (significa dizer que era uma grande quantidade de Anjos) -, proclamando em alta voz”:

“Digno é o Cordeiro imolado de receber o poder, a riqueza (Espiritual- Divindade), a sabedoria, a força, a honra, a glória e o louvor.”

“E ouvi todas as criaturas no Céu, na Terra, sob a Terra (no Hades) no Mar, e todos os Seres que neles vivem proclamarem”:

“Àquele que está sentado no trono (DEUS) e ao Cordeiro (JESUS)

pertencem o louvor, a honra, a glória e o domínio pelos séculos dos séculos!”

“Os Quatro Animais (os Quatro Anjos do SENHOR) diziam:“Amém!” e os Anciãos se prostraram e adoraram” (o PAI e o FILHO). (Final do 5º Capítulo)

 

 

O CORDEIRO ABRE OS SETE SELOS

“Vi quando o Cordeiro abriu o “Primeiro dos Sete Selos”, e ouvi o primeiro dos Quatro Animais (os Quatro Anjos do SENHOR) dizer como num estrondo dum trovão (com voz muito forte): “Vem!” Vi então aparecer um “Cavalo Branco”, cujo montador tinha um arco. Deram-lhe uma coroa e ele partiu para vencer”.(O cavaleiro no Cavalo Branco faz pensar nos partos, cuja arma característica era o arco, que foi o terror do mundo romano no século I. O Império romano que se colocava a serviço do mal dominava praticamente o mundo. Mas em suas fronteiras estavam os povos bárbaros sempre prontos a atacar, em busca de posse, direito e liberdade. Então o Império é um poder humano que será destruído pelos humilhados e desprezados. Esta era a mensagem importante para os cristãos daquela época, mas também importante para nós hoje, nos alertando a não confiar no poder das armas e da riqueza das nações. A nação poderosa, ardilosa, que se impõem pela força, não deve ser temida, como se pudesse impedir a vitória de DEUS).

“Quando abriu o “Segundo selo” ouvi o segundo Animal (Anjo do SENHOR) dizer: “Vem!” Apareceu então, um “Cavalo Vermelho”, e ao seu montador foi concedido o poder de tirar a paz da Terra, para que os homens se matassem entre si. Entregaram-lhe também uma grande espada”. (Símbolo das guerras sangrentas provocadas pelo primeiro cavaleiro, porque o vermelho e a espada indicam a guerra. A força sem a justiça é destruída pela própria maldade, a justiça Divina nem precisa mandar castigos).

“Quando abriu o “Terceiro selo” ouvi o terceiro Animal (Anjo do SENHOR) dizer: “Vem!” Eis que apareceu um “Cavalo Negro” , cujo montador tinha na mão uma balança”. (Símbolo da Fome - fornecimento racionado e preços exorbitantes) "Ouvi então como uma voz, vindo do meio dos Quatro Animais, que dizia": "Um litro de trigo por um denário e três litros de cevada por um denário! Quanto ao óleo e ao vinho, não causes prejuízo." (Que eram preços exorbitantes. Isto nos recorda que basta uma carestia para deixar clara a fragilidade humana. A fome rebaixa verdadeiramente o orgulho humano)

“Quando abriu o “Quarto Selo” ouvi a voz do quarto Animal (Anjo do SENHOR) que dizia: “Vem!” Vi aparecer um “Cavalo Esverdeado” (Verde é a cor do cadáver). Seu montador chamava-se “a Morte”, e o “Hades” o acompanhava (para engolir as vítimas). Foi-lhe dado poder sobre a quarta parte da Terra, para que exterminasse pela espada, pela fome, pela peste e pelas feras da Terra”.

“Quando abriu o “Quinto Selo”, vi sob o altar as vidas dos que tinham sido mortos por causa da Palavra de DEUS e do testemunho que dela tinham prestado (O Altar nesta liturgia celeste corresponde ao altar dos holocaustos. Os Mártires, testemunhas da Palavra, são associados à imolação de seu Mestre JESUS. Segundo a concepção bíblica e oriental, a “vida" reside no sangue. Aqui as vidas dos Mártires estão como que “escorrendo” para a base do altar celeste onde se consuma o seu sacrifício cruento). E eles clamaram em alta voz”:

“Até quando, ó SENHOR Santo e Verdadeiro, tardarás para fazer justiça, vingando nosso sangue contra os habitantes da Terra?” (Os cristãos do primeiro século viviam sempre ameaçados por causa da sua fé. Estavam acostumados a ver seus irmãos morrer nas mãos dos carrascos, sendo torturados e presos).

“A cada um deles foi dada, então, uma “Veste Branca” (símbolo da alegria triunfante), e lhes foi dito, também, que repousassem por mais um pouco de tempo, até que se completasse o número dos seus companheiros e irmãos, que iriam ser mortos como eles”. (A derrota é apenas aparente, pois na verdade eles são os vencedores. A mensagem de João é clara: devemos sempre ter confiança  porque estamos nas mãos de DEUS, e nos espera a recompensa eterna.)

“Vi quando ELE abriu o “Sexto Selo”: houve um grande terremoto ; o sol tornou-se negro como um saco de crina e a lua inteira como sangue; as estrelas do Céu se precipitaram sobre a Terra, como a figueira que deixa cair seus frutos ainda verdes ao ser agitada por um forte vento; o Céu afastou-se, como um livro que é enrolado; as montanhas todas e as ilhas foram removidas de seu lugar; os reis da Terra, os magnatas, os capitães, os ricos e os poderosos, todos, escravos e homens livres, esconderam-se nas cavernas e pelos rochedos das montanhas, dizendo aos montes e às pedras: Desmoronai sobre nós e nos escondei da Face DAQUELE que está sentado no trono, e da ira do Cordeiro, pois chegou o “Grande Dia” da ira DELES, e quem poderá ficar de pé?” (A Justiça Divina que se abate sobre os maus leva-os a esse grito de lamento e desespero. Todos estes sinais cósmicos acompanham, nos escritos proféticos, o "Dia de JAVÉ". Simbolizam o desencadeamento da "Ira de DEUS". Esta realidade dá início a "Grande Tribulação", que acontecerá durante sete anos, em duas etapas de três anos e meio. No final dos primeiros três anos e meio de Tribulação, surgirá o Anticristo.) (Final do 6º Capítulo)

 

 

OS QUE SERVEM A DEUS SERÃO PRESERVADOS

“Depois disso vi outros quatro Anjos, postados nos “Quatro Cantos da Terra”, segurando os quatro ventos da Terra, para que o vento não soprasse sobre a Terra, sobre o Mar, ou por alguma árvore. Vi também outro Anjo que subia do Oriente com o “Selo do DEUS Vivo.” Este gritou em alta voz aos quatro Anjos que haviam sido encarregados de fazer mal a Terra e ao Mar: “Não danifiqueis a Terra, o Mar e as árvores, até que tenhamos marcado a fronte dos servos do nosso DEUS.” Ouvi então o número dos que tinham sido marcados: cento e quarenta e quatro mil (Que é o quadrado de 12; 12 é o número sagrado, multiplicado por mil = 12x12= 144 x 1.000 , que é a multidão dos fiéis de CRISTO, povo de DEUS, o novo Israel. Marcados com o selo Divino eles escaparão das pragas). As 144.000 pessoas correspondem a todas as tribos dos filhos de Israel: da tribo de Judá; da tribo de Ruben; da tribo de Gad; da tribo de Aser; da tribo de Neftali; da tribo de Manasses; da tribo de Simeão; da tribo de Levi; da tribo de Issacar; da tribo de Zabulon; da tribo de José; da tribo de Benjamin. Foram marcados 12.000 de cada tribo”. (Este número citado por João, assim como a relação das tribos, não deve ser entendido como sendo uma quantidade exata, mas quer significar realmente que serão muitos, uma multidão incontável, como ele mesmo afirma a seguir no versículo 9 do Capitulo 7, e que abrangerão todos os países, em todas as partes do mundo onde a fé e o amor a DEUS, for cultivado com fervor, dignidade e confiança).

 

O TRIUNFO DOS ELEITOS NO CÉU

“Depois disto eis que vi uma “grande multidão, que ninguém podia contar”, de todas as nações, tribos, povos e línguas (É a multidão dos mártires cristãos já em posse da felicidade celeste, assim como de todos os fiéis e honestos adoradores). Estavam de pé diante do trono (de DEUS) e diante do Cordeiro (JESUS), trajados com vestes brancas e com palmas na mão (As palmas do triunfo evocam a alegre festa das Tendas – a tenda de DEUS tornar-se-á sua morada, morada de todos os seus filhos dignos). E, em alta voz, proclamavam”: “A salvação pertence ao nosso DEUS que está sentado no trono, e ao Cordeiro!”

“E todos os Anjos que estavam ao redor do trono, dos Anciãos e dos quatro Animais (Quatro Anjos do SENHOR), se prostraram diante do trono para adorar a DEUS. E diziam”: “Amém! O louvor, a glória, a sabedoria, a ação de graças, a honra, o poder e a força pertencem ao nosso DEUS pelos séculos dos séculos. Amém!”

“Um dos Anciãos tomou a palavra e me disse: “Estes que estão trajados com vestes brancas, quem são e de onde vieram?” Eu lhe respondi: “Meu Senhor, és tu quem o sabes!” Ele, então, me explicou: “Estes são os que vêm da grande tribulação (As perseguições, das quais a de Nero Imperador Romano era o protótipo): lavaram as suas vestes e as alvejaram no Sangue do Cordeiro.” (O Sangue simbolizava a eficácia da Morte de JESUS, que purificou todos os cristãos com Seu Divino Sangue). E continuou a explicação”:

“É por isso que estão diante do trono de DEUS, servindo-O dia e noite em seu templo. AQUELE que está sentado no trono (DEUS) estenderá sua tenda sobre eles: Nunca mais terão fome, nem sede, o sol nunca mais os afligirá, nem qualquer calor ardente; pois o Cordeiro que está no meio do trono os apascentará, conduzindo-os até as fontes de água da vida. E DEUS enxugará toda lágrima de seus olhos”. (Estas imagens expressam a verdadeira felicidade escatológica). (Final do 7º Capítulo)

 

PRÓXIMA PÁGINA

PÁGINA ANTERIOR

RETORNA AO ÍNDICE