"DEVO플O AOS SAGRADOS CORA합ES"

 

HISTRIA E ANTECEDENTES - Constitui um inestimvel tesouro da vida espiritual, o sentido das devo寤es ao SAGRADO CORA플O DE JESUS e ao IMACULADO CORA플O DE MARIA. Sobre eles individualmente, existe uma vasta e notvel literatura, que projeta com fidelidade a grandeza da bondade e a misericrdia Divina por toda humanidade.

Quando JESUS estava pregado a Cruz, conforme descreve So Joo Evangelista no seu evangelho, o centurio Longino para verificar se ELE estava vivo ou morto, cravou sua lana no lado direito do SENHOR, entre a 5 e a 6 costela, atingindo o Cora豫o do Redentor e naquele mesmo momento saiu sangue e gua (Jo 19,33-34). Os Santos Padres da Igreja viram no "sangue e na gua" que saram de JESUS Crucificado um sentido muito mais profundo: na "gua" o smbolo do Sacramento do Batismo e no "sangue" , o smbolo do Sacramento da Eucaristia, e nos dois Sacramentos, o "sinal" da Igreja que nascia para reunir todos as gera寤es purificadas pelo Sagrado Sangue do Salvador.

O Cora豫o do SENHOR aberto pela lana do centurio romano jamais fechou... Poderamos dizer que atravs daquela abertura, generosamente sem cessar, derrama misericrdia, bondade, prote豫o e foras para as pessoas de todas as gera寤es, iluminando decises, santificando a existncia, inspirando procedimentos, auxiliando na jornada cotidiana, defendendo contra as terrveis insdias de Satans e muitas outras providncias, a fim de que as criaturas executem integralmente a misso de sua vida.

Esta realidade conduziu as criaturas a invocarem confiantemente o Cora豫o do SENHOR, com a convic豫o de serem atendidas nas splicas, primordialmente depois que ELE Mesmo mostrando a grandeza do Amor Divino, estimulou a devo豫o ao Seu Sagrado Cora豫o, aparecendo a Margarida Maria de Alacoque, uma jovem irm no Mosteiro da Visita豫o em Paray-le-Monial, na Frana, em inesquecveis Apari寤es. Logo na primeira Apari豫o em 27 de Dezembro de 1673, JESUS confiou 12 favores de Sua Grande Promessa em benefcio de todos aqueles que se dispusessem a seguir fielmente suas recomenda寤es e decidissem receber em "estado de graa" a Comunho Eucarstica na primeira sexta-feira de cada ms, durante nove meses consecutivos. Alm daqueles benefcios prometeu o SENHOR... "que as pessoas no morrero no Meu desagrado e tero oportunidade de receberem os Sacramentos, sendo o Meu Sagrado Cora豫o refgio e consolo para elas, naquele momento de transe extremo"... Atravs das Apari寤es onde mostrava o Seu Sagrado Cora豫o abrasado de amor pela humanidade, anunciou tambm uma chuva de bn豫os sobre todos aqueles que se consagrassem e entronizassem os SAGRADOS CORA합ES DE JESUS E MARIA em seus lares, nos escritrios e nos ambientes de trabalho e lazer, eles sero envolvidos pelo manto Divino que os protegero e lhes proporcionaro paz interior e harmonia entre os membros da famlia.

Depois desta notvel manifesta豫o do SAGRADO CORA플O DO SENHOR JESUS, outros fatos admirveis aconteceram at os nossos dias: as Apari寤es de JESUS a Irm polonesa Maria Faustina Kowalska em 1931, as Apari寤es a Julia Kim na Coria do Sul, a Josefina Maria na Austrlia, que confirmam a ilimitada bondade do SENHOR e o desejo Divino, de que o SAGRADO CORA플O seja a inspira豫o e a morada para todas as pessoas.

A devo豫o ao IMACULADO CORA플O DE MARIA comeou concretamente a partir do dia 13 de Maio de 1917, quando NOSSA SENHORA aparecendo em Ftima na Cova da Ira, Portugal, a trs pequenos pastores: Lcia, Francisco e Jacinta, divulgou e ofereceu meios para a propaga豫o desta querida devo豫o. Embora, no podemos deixar de mencionar, que no ano de 1830 a VIRGEM MARIA apareceu a Catarina Labour, na Frana, e mandou que ela cunhasse uma medalha na qual ostenta num dos lados, o M emblema do Nome de Maria, numa aluso ao devido reconhecimento que a humanidade deve ter nossa M홂 SANTSSIMA pelo auxlio, zelo e cuidados que maternalmente e repleta de amor, Ela dedica todos os seus filhos, principalmente queles que buscam a sua preciosa e to querida prote豫o. Pelas muitas graas alcanadas, a medalha ficou conhecida como "Medalha Milagrosa". Embaixo do M de MARIA, esto dois cora寤es, representando o Sagrado Cora豫o de JESUS e o Imaculado Cora豫o de MARIA. Mas, sem dvida, foi em Ftima que a VIRGEM MARIA solicitou claramente a Irm Lcia que divulgasse a sua devo豫o e a Irm levou o pedido de nossa M홂 SANTSSIMA ao conhecimento das autoridades eclesisticas, para que fosse realizado o desejo Divino, sendo instituda a devo豫o ao Seu IMACULADO CORA플O.

Da mesma forma que a devo豫o ao SAGRADO CORA플O DE JESUS, a devo豫o ao IMACULADO CORA플O DE MARIA tem amplitude mundial, sendo cultivada fervorosamente por um grande nmero de fieis, havendo Associa寤es, Institutos, Congrega寤es, Igrejas e Santurios dedicados e entregues a prote豫o do Sagrado Cora豫o de Jesus individualmente e tambm ao Cora豫o Imaculado de Maria, em todos os pases onde o cristianismo chegou.

Todavia, a devo豫o ao SAGRADO CORA플O DO REDENTOR UNIDO AO IMACULADO CORA플O DE SUA M홂 E NOSSA M홂 SANTSSIMA, um mistrio profundo e fascinante, que o SENHOR tambm revelou, mas que somente agora a divulga豫o ganhou amplitude, para jbilo, conhecimento e beneficio da humanidade. Muito embora, bem verdade que aconteceram uma srie de manifesta寤es sobrenaturais como preldio, que sem dvida, do uma forte indica豫o do desejo Divino, para o cultivo da Devo豫o aos Dois Sagrados Cora寤es

Como mencionamos acima, as Apari寤es de NOSSA SENHORA a Catarina Laboreau em 1830, deram origem a famosa Medalha Milagrosa, a qual apresenta na frente a imagem de NOSSA SENHORA DAS GRAAS, como habitualmente mostrada, derramando "Graas" sobre a humanidade. Do outro lado da medalha embaixo do "M" de MARIA, tem dois cora寤es, representando os Sagrados Cora寤es de JESUS e MARIA. O Cora豫o de JESUS est envolto por um arco de espinhos, e o cora豫o de MARIA est atravessado por um punhal. Desse modo, esta primeira representa豫o pode sugerir tambm, um devido e filial cultivo da Devo豫o em conjunto aos Dois Sagrados Cora寤es.

Depois, em 1916, antes das extraordinrias Apari寤es de NOSSA SENHORA em Ftima que aconteceram no ano seguinte de 1917, como a preparar o cora豫o dos pequeninos pastores para a suprema visita da M홂 DE DEUS, o CRIADOR enviou o Anjo da Paz as crianas, por trs vezes. O Anjo nas suas ora寤es, referiu-se aos SAGRADOS CORA합ES DE JESUS E MARIA, confirmando o desejo Divino de que fossem tambm lembrados numa nica e fervorosa devo豫o, porque OS DOIS SAGRADOS CORA합ES esto unidos num Amor Eterno cheio de misericrdia e repleto de bondade em benefcio da humanidade de todas as gera寤es:

Na primeira visita o Anjo ensinou s crianas a seguinte ora豫o: "Meu DEUS! Eu creio, adoro, espero e amo-VOS! Peo-VOS perdo para os que no crem, no adoram, no esperam e no VOS amam".

Na segunda visita, disse o Anjo: "Orai assim, os CORA합ES DE JESUS E MARIA esto atentos voz das vossas splicas. Orai e orai muito! Os CORA합ES SANTSSIMOS DE JESUS E MARIA tem sobre vs desgnios de misericrdia. Oferecei constantemente ao Altssimo, ora寤es e sacrifcios".

Na terceira e ltima Apari豫o, o Anjo ensinou-lhes a prece que ficou conhecida com o nome de Ora豫o do Anjo: "SANTSSIMA TRINDADE, PAI, FILHO E ESPRITO SANTO, ofereo-VOS o preciosssimo Corpo, Sangue, Alma e Divindade de JESUS CRISTO, presente em todos os sacrrios da Terra, em repara豫o dos ultrajes, sacrilgios e indiferenas com que ELE mesmo ofendido. E pelos mritos infinitos, do Seu SANTSSIMO CORA플O e por intercesso do CORA플O IMACULADO DE MARIA, peo-VOS a converso dos pobres pecadores".

Mas, sem dvida, a Devo豫o comeou a ganhar amplitude a partir de Julho de 1985, quando o Papa Joo Paulo II, inspirado pelo ESPRITO SANTO, falou diversas vezes sobre os CORA합ES DE JESUS E MARIA, servindo-se inclusive de uma carinhosa e inesquecvel expresso: "ALIANA DOS DOIS CORA합ES" .
Atrados pela formula豫o, os cristos acolheram esplendidamente o desgnio do CRIADOR, no s por se tratar da unio de duas to queridas devo寤es, mas primordialmente pela magnitude de seu mistrio, que a condescendncia Divina colocou ao alcance de todos.

Entretanto, importante discernir que os DOIS SAGRADOS CORA합ES, no so apenas maravilhosos smbolos e ornamentos da vida crist. "O significado que ns agora damos ao cora豫o", disse o Papa Joo Paulo II, "transcende essas considera寤es parciais e atinge o santurio da conscincia pessoal de si mesmo, onde se resume e condensa a essncia concreta do homem, o centro em que o indivduo se decide, a respeito de si mesmo, dos outros, do mundo e do prprio DEUS". (Clnica Gemelli, Roma).

A ALIANA DOS DOIS SAGRADOS CORA합ES, constitui uma Unio idealizada pelo ETERNO PAI, objetivando alcanar o cora豫o de todas as criaturas, para proteger, auxiliar e inspirar as pessoas, a fim de que tenham um santo e decidido desempenho no cumprimento de sua misso existencial.

A Igreja Catlica das Filipinas foi a primeira a se manifestar positivamente em favor da Devo豫o aos DOIS SAGRADOS CORA합ES, organizando um Simpsio Internacional sobre o assunto, que foi realizado em Ftima, Portugal, em Setembro de 1986, com uma notvel e entusistica participa豫o de cristos do mundo inteiro. Depois dele, aconteceram diversos eventos em outros pases, aprofundando o conhecimento da revela豫o e penetrando no mistrio Divino.

 

Prxima Pgina

Retorna ao ndice