“FOTOGRAFIAS DOS LOCAIS DA”

“CRUCIFICAÇÃO E MORTE”, “SEPULTAMENTO E RESSURREIÇÃO DE”

“NOSSO SENHOR JESUS CRISTO”

As fotos foram feitas pelo jovem religioso David Bivin, que com auxilio de estudiosos em Jerusalém, localizou com precisão os locais onde JESUS sofreu terrivelmente e morreu numa Cruz para consolar o PAI ETERNO, e salvar a humanidade de todas as gerações, lavando os nossos pecados com o SEU Precioso e Sagrado Sangue. Antes de morrer na Cruz, JESUS conhecendo as fraquezas e inconstâncias da humanidade, deixou-nos os SEUS Sagrados Ensinamentos, e instituiu preciosos Sacramentos para correção e santificação de nossa existência, dando-nos recursos seguros para vivermos em plenitude. Inclusive, nos seus últimos momentos na Cruz, deixou-nos a SUA Querida e Amada MÃE SANTÍSSIMA, para ser também a nossa Querida e Amada MÃE ESPIRITUAL, a nossa Intercessora Eficaz e Poderosa, junto DELE, do FILHO JESUS e do SENHOR DEUS PAI ETERNO, o CRIADOR. Assim, sempre que surgir situações difíceis em nossa caminhada existencial, a ELA, a nossa MÃE SANTÍSSIMA devemos recorrer e solicitar o Auxílio Divino. E acontece, sempre, em todas as ocasiões, NOSSA SENHORA carinhosamente socorrerá aquele filho atencioso e amoroso, que busca e necessita da SUA preciosa e tão querida proteção, propiciando-lhe as graças que necessita para vencer as dificuldades do quotidiano, e alcançar os objetivos da vida.

Então, essas fotos são verdadeiramente uma lembrança inesquecível de uma imensa “OBRA DO AMOR DIVINO", que nos traz inesquecíveis lembranças, proporcionando-nos uma idéia viva dos locais em que JESUS sofreu por cada um de nós, para que verdadeiramente crescêssemos na fé e fôssemos àqueles atenciosos filhos que o PAI ETERNO CRIADOR inventou, e espera de cada um de nós.

(Primeira Foto)

Como se pode observar é uma perspectiva ou maquete evidenciando a área atual em Jerusalém, mostrando o percurso feito por JESUS, desde a entrada a esquerda pelo Portão de Damasco, seguindo uma linha vermelha até o Gólgota, no lado direito, local da Crucificação. A primeira observação nos ensina que a Crucificação não aconteceu na parte mais alta do morro, mas sim numa baixada, no pé do morro. O morro recebeu nome de “Monte da Caveira” e na baixada, na planície ao lado desse Monte, JESUS e os dois ladrões Dimas e Germa foram crucificados. E vejam como as coisas acontecem: nesse local tão sagrado, fizeram um terminal rodoviário de propriedade do Sultão Sulleiman, conforme pode ser observado pelas fotografias Nº3 e Nº4.

(Pela ordem: Foto N° 2 + Foto Nº 3 + Foto N° 4)

 

Evidentemente causa-nos um certo constrangimento em observar pelas fotos, que hoje o Gólgota está reduzido a um monte esburacado denominado "Monte da Caveira", com a pequena baixada que se estendia em sua base, transformada num Terminal Rodoviário. A lei do bem-viver que sempre ensinou um cuidado e um respeito maior pelos falecidos, coloca-nos uma interrogação. Sim, porque nos convida a pensar: qual não deveria ser o cuidado, o respeito e as providências mais dignas a serem agilizadas com aqueles locais onde NOSSO SENHOR, numa demonstração amorosa de dimensões infinitas, entregou-se publicamente para a salvação da humanidade de todas as gerações, inclusive de cada um de nós, sofrendo aquelas absurdas e covardes flagelações, além de um julgamento mentiroso, covarde e devidamente preparado com o objetivo de condená-lo a morte! Mas, infelizmente as autoridades não pensaram e nem se lembraram dessa realidade! Em consequência, naquelas regiões onde o SENHOR JESUS derramou o seu Sagrado e precioso Sangue, lavando a humanidade inteira, para que cada um de nós fôssemos Santos, como ELE, NOSSO DEUS e SENHOR, nos ensinava a "Ser Santos" com toda a SUA imensa e poderosa SANTIDADE, permaneceu no esquecimento e na indiferença, tornando-se locais comuns sem qualquer valor especial! Mas a Providência Divina não se esqueceu, e como sempre existiram pessoas com fé segura na verdade cristã, por volta do ano 1900 quando Jerusalém não havia ainda se estendido por aquela região, ou seja, pelo lado do Gólgota, fizeram as fotografias que apresentaremos a seguir. Esta Sexta foto, nos mostra o "Monte da Caveira" por um angulo diferente, e a baixada onde JESUS foi crucificado. A seguir prepare bem o seu coração e veja onde JESUS foi sepultado. A estrada que existia ao lado, conduz ao Gólgota e era caminho para Jerusalém. Não existia Cemitérios naquela época e os mortos eram enterrados em depressões nos morros ou nas pedreiras, ou em pequenas grutas. Ali finalmente JESUS repousou o seu Corpo cansado, transpassado por todos aqueles maus tratos e covardias, que as mentes doentias e envenenadas dos seus algozes ruminaram pelo prazer satânico de "castigar o Rei dos Judeus".

(Foto nº 5, Foto n°6, Foto Desenho nº7 e Foto nº8)

 

 

Na época em que os fiéis, os cientistas e arqueólogos, provavelmente em 1900, descobriram o Gólgota e também o Túmulo de JESUS, fizeram este Desenho Foto n° 7, que na verdade, nos faz lembrar um pouco de como se apresentava o tumulo que é mostrado na Foto n° 6. É provável também que quando ocorreram todos aqueles fatos com NOSSO SENHOR, a dois mil anos passados, ali não existia exatamente uma estrada, como aquela do desenho, e o terreno devia ser mais baixo, deixando livre a entrada do tumulo onde foi colocado JESUS morto, a qual foi fechada com uma grande pedra. Relembremos os Evangelhos. O Evangelista Mateus escreveu:"José de Arimateia, (junto com os Discípulos presentes) tomando o Corpo de JESUS, envolveu-o num lençol limpo e o pôs em seu tumulo novo, que talhara na rocha. Em seguida, rolando uma grande pedra para (fechar) a entrada do túmulo, retirou-se". (Mt 27,59-60)."As mulheres, porém, que tinham vindo da Galiléia com JESUS, haviam seguido a José (de Arimateia e os outros, no funeral); observaram o túmulo e como o Corpo de JESUS fora ali depositado. Em seguida, voltaram e prepararam aromas e perfumes. E, no sábado, observaram o repouso prescrito". (Lc 23, 55-56). "No primeiro dia da semana, muito cedo ainda, elas foram à tumba, levando os aromas que tinham preparado" (para ungir o Corpo de JESUS, conforme a Lei) "encontraram a pedra do túmulo removida, mas, ao entrar, não encontraram o Corpo do SENHOR JESUS. E aconteceu que, estando perplexas com isso, dois homens (apareceram e) se postaram diante delas, com vestes fulgurantes (eram dois Anjos). Cheias de medo, inclinaram o rosto para o chão; eles, porém, disseram: "Por que procurais entre os mortos AQUELE que está vivo? ELE não está aqui; Ressurgiu. Lembrai-vos de como vos falou, quando ainda estava na Galiléia: É preciso que o Filho do Homem seja entregue às mãos dos pecadores, seja Crucificado, e Ressuscite ao terceiro dia". (Lc 24,1-7)

Desse modo, para que fosse possível rolar uma grande pedra e colocá-la na entrada para fechar o túmulo, era preciso que o terreno fosse razoavelmente plano. Por outro lado, a sepultura do SENHOR ficou abandonada, servindo de moradia para animais e pessoas desocupadas. Eles, os cristãos, quando a encontraram no ano de 1900, depois de limpa-la convenientemente, contrataram um pedreiro para fechar a entrada com uma alvenaria de tijolos, conforme a figura nº 8.

Atualmente, através das muitas fotografias de Jerusalém tiradas por aerofotogrametria pelo Google, conforme a Foto Nº 9 abaixo, observa-se que a cidade já envolveu todas aquelas áreas onde aconteceu o Grande e Redentor Sacrifício de NOSSO SENHOR JESUS CRISTO, em beneficio de todos nós, da humanidade de todas as gerações. Assim sendo, agora nos sentimos recompensados pelo prazer insubstituível de termos ajudado a divulgar, colocando ao alcance de todos os leitores, esta preciosa informação cristã, que por certo há de trazer alegrias e satisfações pela surpresa, apesar da grande e incomparável tristeza que estas lembranças por certo causam, entristecendo os corações. Mas esta é a verdade do FILHO DE DEUS, REDENTOR de todos os filhos e filhas deste mundo. Verdade que não pode ser esquecida, a fim de ser constantemente lembrada, para que a grandeza de nosso amor por JESUS, por NOSSA SENHORA e pelo PAI ETERNO, sempre transborde na diminuta dimensão de nosso coração.

Próxima Página

Página Anterior

Retorna ao Índice