“PRELÚDIO”

 

 

Santa Verônica Giuliani é verdadeiramente uma Santa admirável. Sua espiritualidade ocupa a maior porção da sua alma, dedicada a CRISTO. Mas também amava NOSSA SENHORA e outros Santos.

Com JESUS teve uma experiência maravilhosa de ser amada por um Esposo fiel e sincero, e por isso mesmo, ardentemente desejava corresponder ao SENHOR com um amor puro e apaixonado. Assim, ela demonstrou ao longo da sua vida, interpretando com preocupação e exercitando um carinho inaudito, a grandeza de um sentimento que soube acolher o SENHOR, o que lhe proporcionou a imensa alegria de poder demonstrar a JESUS a dimensão mais bonita de seu amor incondicional e dedicado ao CRISTO Sofredor, que entregou a própria vida como prova de infinito Amor por toda humanidade.

No momento supremo da Vida de NOSSO SENHOR, quando JESUS sofreu um martírio terrível e abominável morte na Cruz, o Corpo Divino ficou coberto de chagas, por onde correu o SEU Sagrado e Precioso Sangue que lavou a alma da humanidade de todas as gerações.

Verônica com sua total dedicação ao SENHOR, ao vê-LO numa Aparição sangrando coberto de chagas e com a Coroa de Espinhos, triste e chorosa disse:“Oh JESUS! Quero ser crucificada com o SENHOR”. NOSSO SENHOR percebendo o misericordioso coração de Verônica, gentilmente tirou a Coroa de Espinhos da Cabeça e colocou nela. E então, ela pode sentir as terríveis dores causadas pela Coroa de Espinhos e perceber realmente uma pequena prova do abominável e terrível sofrimento do REDENTOR.

Cenas lindas e fortes como essa preencheram toda a sua existência até o suspiro final.

Sobre as Chagas e os Estigmas do SENHOR, ela descreve: “Eu vi sair das Santas Chagas de JESUS, cinco raios resplandecentes, e todos vieram na minha direção, perto de mim. Em quatro estavam os pregos, e no outro estava à lança, como de ouro, toda incandescente, que avançou e me atravessou o coração de um a outro lado. Quando depois, eu tive a felicidade de ver aqueles preciosos estigmas gravados em meu corpo, chorei muito e roguei ao SENHOR que se dignasse escondê-los aos olhos de todos, porque eu queria guardá-los só para mim”.

Mas o senhor Bispo Eustachii intimou que ela mostrasse a uma Comissão Especial de quatro sacerdotes de responsabilidade ilibada. Ela assustada rezou, suplicou a JESUS que não permitisse.“NOSSO SENHOR esclareceu que seria necessário, para comprovar a realidade da Aparição e das Chagas da Redenção da Humanidade no seu corpo”. A súplica de Verônica nascia da força de um amor sincero e apaixonado, unido ao martírio da sua virginal modéstia e da sua profunda humildade, razão porque ela queria guardar somente no seu coração.

Nas orações, Verônica foi uma mulher admirável, pois abundantes frutos foram colhidos pelo seu espírito com o exercício da meditação. Na verdade, as suas virtudes são consolidadas ao longo da sua existência, no meio de terríveis e abomináveis insultos do demônio, por inveja e despeito, porque as graças especiais de NOSSO SENHOR eram derramadas caudalosamente em sua vida, dando-lhe a necessária força e revigorando os seus sentimentos e as suas virtudes.

O imenso amor de JESUS, que entregou sua vida para a salvação da humanidade, fez nascer também no coração de Verônica o seu imenso e dedicado amor a Igreja, através das suas orações e oferendas. E assim ela vivia na perspectiva de cada dia: rezava, sofria, intercedia e procurava a santa pobreza, precisamente como fez NOSSO SENHOR JESUS CRISTO.

Outro fato importante da vida de Verônica é lembrar que ela escreveu muito: cartas, relações autobiográficas e poesias. Escreveu também o seu famoso Diário, que iniciou em 1693, e contém 22.000 páginas manuscritas num período de 34 anos de vida na Clausura. A escrita flui espontaneamente e de modo continuo, não existem riscos e nem correções, e também não há sinais de interrupção. É uma longa escrita sem emendas, e descreve os acontecimentos da sua existência. Na verdade ela não queria escrever, mas foi ordenada a escrever as suas experiências desde o início, por determinação do Padre Jerônimo Bastos, religioso das Filipinas e radicado na Diocese, de acordo e conforme o pedido urgente do senhor Bispo Diocesano, Dom Antonio Eustachii, que queria os detalhes de todos os admiráveis acontecimentos da vida da Irmã Verônica.

Por todos estes estímulos, nós do APOSTOLADO DOS SAGRADOS CORAÇÕES nos sentimos convidados a escrever essa admirável existência de Santa Verônica Giuliani. E por isso mesmo, estamos cientes de que também os leitores ficarão sensibilizados, porque se trata de acontecimentos impressionantes e incomparáveis, que proporcionarão um turbilhão de alegrias ao coração. Quem desejar se aprofundar nas impressionantes informações sobre a Vida de "SANTA VERÔNICA" recomendamos o livro escrito pelo Padre Filippo Maria Salvatori, Editora Ecclesiae.

 

“APOSTOLADO DOS SAGRADOS CORAÇÕES”

 

PRÓXIMA PÁGINA

RETORNA AO ÍNDICE