REVELAÇÕES E ANÚNCIOS

DIVINOS - 2

 

Na presença da Esposa (Santa Brígida), acusação do FILHO a uma alma que seria condenada; e a resposta de CRISTO ao demônio por que permitiu a essa alma e permite aos pecadores que toquem e recebam o seu verdadeiro Corpo na Sagrada Eucaristia.

Livro 2 - Capítulo 2

DEUS apareceu irritado, e disse: “Esta obra (humanidade) das Minhas Mãos, a quem destinei grande glória, ME tem desprezado. Esta alma, a quem ofereci todo o Meu amoroso cuidado, ME fez três coisas sérias: Desviou os seus olhos de MIM e os voltou na direção do inimigo. Fixou sua vontade no mundo, colocando sua confiança em si mesmo, porque ela era livre para pecar contra MIM. Por esta razão, como não se preocupou em ter nenhuma consideração COMIGO, EU executo a Minha Justiça sobre ela. Porque ela fixou sua vontade contra MIM e pôs falsa confiança em si mesmo, EU afasto dela o objeto de seu desejo.”

Então, um demônio gritou: “JUIZ, esta alma é minha”. O JUIZ (DEUS) respondeu: “Que razões você traz contra ela e a seu favor?” Ele respondeu: “Minha acusação é a Sua própria declaração de que ela LHE desprezou, o SENHOR o seu CRIADOR, e por isso esta alma tornou-se minha. Além disso, ela que foi repentinamente levada, como poderia agora, repentinamente, LHE agradar? Pois quando seu corpo era sadio e vivia, ela não LHE serviu com o coração sincero, já que amava mais as coisas do mundo, e nem mesmo suportou a doença pacientemente, ou refletiu sobre as suas obras como deveria. No final, ele nunca esteve ardendo no fogo da caridade. Por isso, esta alma é minha, porque o SENHOR a tirou do mundo repentinamente.”

O JUIZ respondeu: “Um fim repentino não condena uma alma, a menos que haja inconsistência em suas ações. Pela escolha de uma pessoa ela não é condenada para sempre sem deliberação cautelosa.” Então a MÃE DE DEUS disse: “Meu FILHO, se um criado preguiçoso tem um amigo que tem uma boa relação com o seu mestre, seu amigo não deveria defendê-lo? Ele não deveria ser salvo, se pedisse por isso, pelo bem do outro?” O JUIZ respondeu: “Cada ato de justiça deve ser acompanhado pela misericórdia e sabedoria; a misericórdia para diminuir a severidade, a sabedoria para garantir que a equidade seja mantida. Mas, se a transgressão for de tal tipo que não merece perdão, mesmo assim, a sentença pode, ainda, ser mitigada em consideração a amizade revelada, sem, contudo infringir a justiça.” Então disse a MÃE: “Meu abençoado FILHO, esta alma pensava em Mim constantemente, e Me mostrou reverencia; e varias vezes celebrou a grande solenidade em Minha consideração, mesmo que fosse fria em relação a TI. Então, tenha piedade dela!”

O FILHO respondeu: “Abençoada MÃE, tu conheces e vê todas as coisas em MIM. Mesmo que esta alma a tivesse na sua mente, ela fazia isso mais em atenção à sua felicidade temporal e não pensando na espiritual. Não tratou Meu puríssimo Corpo como deveria. Sua boca suja a afastou de desfrutar Minha caridade. O amor mundano e a dissolução encobriram o sofrimento que padeci também em beneficio dela. Sua morte foi acelerada quando considerou Meu perdão como certo e quando não pensou em seu fim. Embora tenha ME recebido continuamente na Sagrada Eucaristia, isto não a fez melhorar, pois ela não se preparou de forma adequada. Uma pessoa que deseja receber um nobre Senhor e Hóspede não deve apenas preparar o quarto, mas também todos os utensílios. Este homem não fez assim, já que, embora tenha limpado a casa através da Confissão Sacramental, não a varreu com reverente cuidado. Ele não espalhou pelo chão as flores de suas virtudes ou preencheu os utensílios de seus membros com abstinência. Então, tu vês muito bem que o que precisa ser feito para ele é o que ele merece”.

“Embora EU seja invulnerável e além da compreensão possa estar em todos os lugares devido a Minha Divindade, Minha alegria está naquele que é puro, mesmo se EU, da mesma forma, entrar no que tem bom coração e no condenado. O bom recebe o Meu Corpo, que foi crucificado e subiu ao Céu, e que foi prefigurado pelo maná e pela farinha da viúva. O mau também o recebe, mas, enquanto para o bom isso leva a maior força e consolação, para o mau isso leva a uma condenação ainda mais justa, na medida em que ele, em sua indignidade, não tem medo de se aproximar de tão digno Sacramento”.(Aqui é focalizado o sério problema de sacerdotes e leigos, não arrependidos e não perdoados sacramentalmente de suas culpas, e portanto, não se encontrarem dignamente preparados, e receberem JESUS, na Sagrada Comunhão)

O demônio respondeu: “Se ele se aproximou de TI indignamente e Sua sentença foi mais severa por causa disso, por que permitiste que ele se aproximasse e TE tocasse apesar de sua indignidade?” O JUIZ respondeu: “Você não está perguntando isto com amor, já que não o tem, mas o Meu poder o obriga a perguntar por causa de Minha Esposa (Santa Brígida) que está tendo esta visão e escutando. Da mesma forma que, tanto o bom quanto o mau, tocam a Minha Natureza Humana para provar a realidade da mesma, assim, com Minha paciente humildade, também o bom e o mal comem o meu Corpo no Altar. O bom para a sua maior perfeição, e o mau para que não possa acreditar que já esteja condenado e assim, tendo recebido o Meu Corpo, ele possa ser convertido, desde que decida corrigir a sua intenção e o seu procedimento. Que maior amor posso lhes mostrar do que aquele em que EU, o mais puro, entro até mesmo nos vasos mais impuros? Você satanás e seus companheiros desprezam este amor, pois vocês se endureceram contra o amor”.

Então, a MÃE falou novamente:“Meu bom FILHO, toda vez que ele se aproximou de TI revelou reverencia, embora não como deveria ter sido. Ele também se arrepende de TE ter ofendido, embora não perfeitamente. Meu FILHO, em minha intenção, considere isto em favor dessa alma”. O FILHO respondeu: “Como disse o profeta, EU sou o verdadeiro Sol, embora EU seja muito melhor que o sol. O raio do sol não penetra as montanhas ou mentes, mas EU posso fazer ambos”.

“Uma montanha pode ficar no caminho do raio do sol e assim a luz do sol não alcançará a terra do outro lado dela, mas o que pode bloquear o Meu caminho exceto o pecado que impede esta alma de ser atingida pelo Meu Amor? Mesmo se uma parte da montanha for removida, a terra do outro lado ainda não receberia integralmente o calor do sol. E se EU entrasse em parte numa mente pura, que consolo seria para MIM se EU pudesse sentir o mau cheiro vindo da outra parte da mente que está impura? Portanto, uma pessoa deve se livrar de tudo o que é sujo e permanecer limpa, e então desta limpeza, resultará a doce alegria”. A Sua MÃE respondeu: “Seja feita a Sua Vontade, com toda misericórdia!

EXPLICAÇÃO

Este foi um sacerdote que frequentemente recebia avisos relacionados ao seu comportamento incontinente e não quis escutar a razão. Um dia, quando ele saiu ao campo para cuidar de seu cavalo, veio um trovão e um raio o atingiu e matou. Seu corpo ficou ileso exceto as suas partes íntimas, que puderam ser vistas completamente queimadas. Então o ESPÍRITO DE DEUS disse: “FILHA, aqueles que se envolvem em tais prazeres desprezíveis merecem sofrer em suas almas o que este homem sofreu em seu corpo”.

 

 

São João Evangelista disse a Santa Brígida que nenhuma boa obra ficará sem prêmio. Falou também sobre a excelência da Bíblia.

LIVRO 4 – CAPITULO 1

Um homem apareceu a Santa com os cabelos cortados de modo diferente. Seu corpo estava seminu, embora não de maneira indecente, e untado com óleo, e disse: “A Escritura que vocês chamam de Santa, diz que nenhuma boa obra ficará sem prêmio. Esta é a Escritura chamada por vocês de Bíblia, mas nós os bem-aventurados a chamamos de “sol”, porque ela é mais resplandecente que o ouro, e excede a todas as demais escrituras, porque nela se honra e anuncia o verdadeiro DEUS, se recorda as obras dos Patriarcas e se explicam as predições dos Profetas. E porque nenhuma obra pode ficar sem a sua devida remuneração, entenda o que vou lhe dizer:”

“Tu que me estás vendo, prosseguiu São João Evangelista, entenda que penetrei na raiz da Escritura de ouro e a conhecendo, aumentei-a inspirado por DEUS. Eu fui afrontosamente desnudado e porque suportei tudo com paciência, DEUS cobriu a minha alma com uma vestidura imortal; fui colocado num caldeirão de óleo fervendo e por isso estou desfrutando agora do óleo da alegria; também como a MÃE DE DEUS passou do mundo para a eternidade com uma morte suave, o SENHOR DEUS ordenou que o mesmo ocorresse comigo, porque fui protetor de NOSSA SENHORA. Por isso, o meu corpo se encontra agora em lugar seguro e muito tranquilo. É a magnífica retribuição do SENHOR. Então fica claro e evidente, DEUS não deixa de premiar todas as obras, mesmo a menor delas".

 

 

Presença Real de JESUS no SANTÍSSIMO SACRAMENTO (EUCARISTIA).

LIVRO 4 - CAPÍTULO 45

Vendo Santa Brígida um sacerdote erguer o SANTÍSSIMO SACRAMENTO, apareceu-lhe um demônio muito feio e lhe disse: "Tu crês, que esse pedacinho de pão é DEUS? Ele está sendo consumido há muito tempo, ainda que fosse o maior dos montes, já teria acabado. Nenhum dos sábios judeus, a quem DEUS comunicou a Sua sabedoria, não acredita em semelhante coisa”. Apareceu-lhe em seguida o seu Anjo da Guarda e lhe disse: “Filha, não respondas a este estúpido, pois este que lhe apareceu é o pai da mentira; mas prepara-te, porque já está perto o Esposo”. E neste momento apareceu NOSSO SENHOR JESUS CRISTO e disse ao demônio: “Por que perturbas esta filha e Minha Esposa? Chamo-lhe de filha, porque a criei; e é Minha Esposa porque a redimi e está unida Comigo pelo Meu Amor”.

Disse o demônio: “Falo porque tenho de TI permissão para fazer isso”. Disse o SENHOR: “Diga-me, demônio, quando a vara se transformou numa serpente, isto aconteceu por ordem de Moisés, ou pelo comando de DEUS, ou porque Moisés era Santo, ou porque assim dispôs a palavra de DEUS”? Respondeu o demônio: “Quem foi Moisés, senão um homem fraco por si, ainda que considerado justo por DEUS, cuja palavra, mandada e proferida por DEUS, a vara se transformou em serpente, por ordem de DEUS. Moisés apenas obedeceu porque era um ministro do SENHOR. Antes da ordem e da palavra de DEUS, a vara era uma vara, mas quando DEUS ordenou, a vara se transformou numa cobra real, de tal modo, que até levou terror ao próprio Moisés”.

Disse o SENHOR a Santa Brígida:“Desta maneira, Minha Esposa, sucede no Altar. Antes das palavras da Consagração, a Hóstia colocada sobre o Altar é pão. Mas pronunciadas pelo sacerdote as palavras: ESTE É O MEU CORPO, ele se transforma no Corpo de CRISTO, embora permaneça a mesma aparência de pão. Todos recebem em suas mãos, os bons e os maus, assim recebe um como mil pessoas, a mesma verdade, mas não com o mesmo efeito. Isto porque, aos bons a Sagrada Eucaristia lhes serve para a sua salvação, e aos maus para a sua condenação”.

“Quanto àquilo que o diabo disse, de que nenhum erudito judeu acredita nisto, EU respondo que eles são infelizes e cegos, como aqueles que perderam ambos os olhos; e carecem de ambos os pés espirituais, pelos quais são ignorantes, não caminham e não evoluem espiritualmente, e assim serão até que reconheçam a verdade. Portanto, não devemos estranhar que o diabo procura cegar e endurecer os corações das pessoas, lhes sugerindo coisas impudicas, e aquelas que são contra a fé".

"Assim, sempre que vir à mente algum pensamento dessa classe a respeito de Meu Corpo explica a teus amigos, e permanece firme na fé. Tenha absoluta certeza de que este Corpo que tomei da VIRGEM Minha MÃE, e foi crucificado e agora reina no Céu, é o Mesmo que está sobre o Altar na Hóstia Consagrada, e dele recebe os bons e os maus. E como ME apareci com aspecto diferente aos Discípulos que iam para Emaús, não obstante sendo o verdadeiro DEUS e verdadeiro Homem, e também, como entrei no Cenáculo onde estavam os Discípulos com as portas e janelas fechadas; do mesmo modo ME mostro diferente aos sacerdotes, após a Consagração, para que sua fé tenha mérito e se faça mais evidente a ingratidão da humanidade”.

“Mas não existe motivo para se admirar disto, porque sou agora o mesmo que com terríveis sinais manifesto o poder da Minha Divindade, e, contudo, os homens disseram: Façamos deuses que nos dirijam. EU também manifestei aos judeus a Minha verdadeira Humanidade, e a crucificaram. A cada dia estou no Altar, e dizem os maus: Este manjar causa tentação e náuseas. Que maior ingratidão pode haver em querer compreender DEUS pela razão, e se atrever a criticar os julgamentos e mistérios ocultos que ELE tem encerrado em Suas Mãos? Assim, pois, com um efeito invisível e com forma visível quero ME manifestar aos ignorantes e aos humildes, que seja na forma visível do pão, mesmo sem pão e sem substância, e por que EU sofro em Meu Corpo tão indigno e tão indecoroso tratamento, seja para engrandecer aos humildes e confundir os soberbos”.

Sobre o Santíssimo Sacramento.

LIVRO 4 - Capítulo 46

Apareceu à Santa um demônio com uma barriga muito grande, e lhe disse:“O que você acha, mulher, e que motivos tem para pensar coisas grandes? Sei também de muitas coisas, e te quero provar as minhas palavras com a luz da razão, mas antes te aconselho a não pensar coisas incríveis, e também não deve dar crédito aos seus sentidos. Não vês com os seus próprios olhos e não ouves com teus ouvidos, o som da quebra da Hóstia da espécie do pão? Não tem visto cuspi-la, pegá-la com as mãos e até mãos sujas, jogá-la indecorosamente ao chão, e lhe fazer muitos desacatos, que eu não toleraria se fizessem comigo? E se ainda fosse possível que DEUS estivesse na boca do justo, como tem de descer até os injustos, cuja avareza não conhece termo e nem medida”? 

Disse a Santa ao SENHOR, que apareceu no momento em que terminou a tentação: “SENHOR Meu JESUS CRISTO, VOS agradeço por todas as Graças, e em particular, por três. Primeiro, porque vestiu a minha alma, inspirando-me dor e arrependimento, com os quais os meus pecados, por grandes que tenham sido, foram perdoados; segundo, porque sustenta a minha alma, infundindo-lhe o Seu Amor e a permanente memória de Sua Paixão, com a qual me deleito como um saboroso manjar; e terceiro, porque consola a todos os que na tribulação LHE invocam. SENHOR tende misericórdia de mim e ajude a minha fé; porque ainda que seja digna de ser entregue às ilusões do demônio, creio, não obstante, que sem a VOSSA permissão ele não pode fazer nada, e também não lhe permitis, sem dar algum consolo ao tentado”.

Então JESUS disse ao demônio: “Porque fala a esta nova Minha Esposa”? O demônio respondeu: Porque a tive em minhas redes, e ainda espero voltar a pegá-la. Estava comprometida, quando consentindo comigo, agradou mais a mim, e quis seguir mais as minhas orientações, que a ti que és o seu CRIADOR. Observei todos os seus passos, e os conservo na minha memória”. Interrompeu JESUS: “Logo tu és negociante e explorador de todos os caminhos”? Respondeu o demônio: “Sou, mas nas trevas, porque me deixaste sem luz”.

JESUS perguntou: Quando viste e quando ficaste nas trevas”? Disse o demônio: “Vi, quando me criaste formosíssimo; mas porque desprevenidamente me arrojei sobre o TEU esplendor, fiquei cego como um basilisco (réptil de oito pernas). Vi quando invejava a TUA formosura; em minha consciência eu TE vi, e TE conheci quando me lancei do Céu; vi também, quando TU tomou o Corpo de carne, e fiz o que me permitiste; e TE conheci, quando ao Ressuscitar, me despojaste dos prisioneiros, cativos do pecado; e a cada dia conheço o TEU poder, e fazes burla de mim e me envergonhas”. JESUS falou: “Pois se sabes a verdade sobre o Meu poder, e quem EU sou, por que mente aos Meus escolhidos? EU não disse, que quem come a Minha carne, viverá para sempre? E tu, dizes que é mentira, e que ninguém come a Minha carne. Neste caso, Meu povo estaria sendo iludido, seria mais idólatra que os que adoram pedras e madeiras”.

JESUS continuou: “Agora, ainda que EU conheça tudo, ME responde, para que Minha Esposa que esta ouvindo, veja nesta visão aquilo que não pode entender, senão por semelhança, as coisas espirituais. Tomé, meu Apostolo, me tocou e apalpou após a Minha Ressurreição, para ver se era EU Mesmo que estava ali. Era espiritual o que tocava, ou corporal? Si era corporal, como EU podia ter entrado no Cenáculo, se as portas e janelas estavam fechadas? E se era espiritual, como EU podia ver com os olhos do corpo e como Tomé conseguiu ME tocar”? Respondeu o demônio: “Coisa difícil é ter que falar onde se é considerado suspeito por todos, e à força se vê obrigado a dizer a verdade. Desse modo, forçado por TUA ordem, digo; que quando ressuscitaste, eras espiritual e corporal; e assim, pela eterna virtude da TUA Divindade, e pela prerrogativa espiritual da carne glorificada, entras e podes estar onde quiser”.

Voltou o SENHOR a dizer: “Quando a vara de Moisés se converteu em serpente, era verdadeira serpente por dentro e por fora, ou só uma figura e semelhança de serpente? Aqueles cestos de pão ou pedaços de pão, que recolheram os Meus Discípulos, era pão de verdade, ou apenas semelhança de pão”?

Respondeu o demônio:“Verdadeiramente a vara se transformou numa serpente, e tudo o que foi recolhido nas cestas eram sobras de verdadeiro pão. E tudo isto foi feito pelo TEU poder”. Disse JESUS: “E por ventura, agora será para MIM mais difícil fazer milagres iguais ou maiores que aqueles, se assim é Minha Vontade? E já que a carne glorificada pôde entrar então onde estavam os Apóstolos com as portas e janelas fechadas, porque não posso estar agora nas mãos dos sacerdotes”?

“Talvez lhe custe algum trabalho a Minha Divindade juntar o alto com o baixo, as coisas do Céu com as da Terra? Não, com certeza; senão que no fim de tudo, tu és o pai da mentira; mas se tua malícia é grande, maior é o Amor que tenho e terei sempre pela humanidade. E ainda que parecesse que um queimava esse Santíssimo Sacramento, e outro o espezinhasse, EU só conheço a fé que têm todos e disponho todas as coisas com medida e paciência: e do nada sempre faço alguma coisa, do invisível, para o visível, e no sinal e nas palavras apresento uma coisa a vista, que na realidade é outra coisa diferente do que parece ser”.

Contestou o demônio: “A cada dia experimento essa verdade, quando se afastam de mim meus amigos, e se fazem amigos TEUS. Que mais queres que TE diga? Se me deixassem a minha liberdade, bem poderia manifestar com minha vontade o que faria, se me permitissem”.

Disse NOSSO SENHOR a Santa: "Creias tu, filha, que EU sou JESUS CRISTO, reparador e não destruidor da vida; EU sou o Verdadeiro e a Verdade Plena, e não o mentiroso, e Meu poder é eterno, e sem ele nada existe e nada se fará. E é tão verdadeiro que estou nas mãos do sacerdote, e mesmo que o sacerdote duvidasse, não obstante, pelas palavras que EU estabeleci e disse, por estas palavras que EU mesmo falei, estou verdadeiramente em suas mãos, e todo aquele que ME recebe, recebe a Minha Divindade e Minha Humanidade, em forma de pão”.

"Que é, pois, DEUS, senão vida e doçura, luz esplendorosa, bondade infinita, justiça que julga e misericórdia que salva? Que é a Minha humanidade, senão uma carne sutilíssima, a união de DEUS com o homem, e cabeça de todos os cristãos? Logo todo o que crê em DEUS e recebe o seu Corpo (Sagrada Comunhão), recebe também a Sua Divindade, porque recebe a vida; e recebe também a humanidade, com que se juntam DEUS e o homem, recebendo tudo na forma de pão (Hóstia Consagrada), se achando ali Real e Verdadeiramente presente como está nos Céus, ocultando apenas a sua forma para despertar a fé”.

A pessoa má recebe igualmente a mesma Divindade, mas ela é julgadora, não agradável e prazerosa; recebe também a humanidade, mas menos agradável com ele, mesmo na forma de pão, porque é na mesma espécie que se vê e que se recebe a verdade oculta, porque assim que os maus ME aproximam de seus lábios e de sua boca, ME afasto com Minha Divindade e Humanidade, ficando somente a memória do pão. E acontece isto, porque quando a pessoa má recebe o Meu Corpo em realidade EU não estou ali presente. Por isso, o mesmo Sacramento recebido pelos bons e pelos maus, tem efeitos totalmente diferentes”.

"Finalmente, no mesmo sacrifício se apresenta ao homem a Vida, isto é, o mesmo DEUS, que se dá também nesta Vida; mas a Vida não permanece com os maus, porque ela não aceita o mau, e assim, no mau, só fica o paladar e a sensação de ter recebido o pão”.

 

Próxima Página

Página Anterior

Retorna ao Índice