ESCOLHA DE MATIAS

Naqueles dias, Pedro falou a assembléia de cristãos reunidos:

“Irmãos, era preciso que se realizasse o que na Escritura, pela boca de Davi, o ESPÍRITO SANTO predisse a respeito de Judas Iscariotes, que traiu JESUS. Ele vivia entre nós e era contado como um dos nossos e recebera parte de nosso ministério. Tendo adquirido um terreno com as 30 moedas de prata do crime de sua traição, suicidou-se num galho de árvore. O fato foi notório a todos os habitantes de Jerusalém. Em consequência o campo foi denominado na língua deles: Haceldamá”. (que significa Campo de sangue) (At 1, 16-19)

E ainda: “Um outro receba o seu cargo.” (At 1, 20)

Apresentaram dois homens: José, chamado Barsabás e cognominado o Justo, e Matias. Então, fizeram esta oração: “SENHOR, tu que conheces o coração de todos, mostra qual destes dois escolhestes para ocupar, neste ministério do apostolado, o posto que abandonou Judas, para ir a seu lugar.” (At 1, 24-26)

Foi lançada a sorte entre os dois, e no sorteio foi escolhido Matias, que logo foi integrado ao Colégio Apostólico, sendo o décimo segundo Apóstolo.

PENTECOSTES

Cinquenta dias após a Ressurreição do SENHOR, no dia de Pentecostes, estavam os Apóstolos e NOSSA SENHORA reunidos no Cenáculo em Jerusalém, no andar superior daquele sobrado onde fizeram a Última Ceia, quando de repente, veio do Céu um ruído semelhante ao soprar de impetuoso vendaval, e encheu toda a sala onde se encontravam. E apareceram umas como línguas de fogo, que se distribuíram e foram pousar sobre cada um deles. Todos ficaram cheios do ESPÍRITO SANTO e começaram a falar em outras línguas, conforme o ESPÍRITO os impelia. Estavam em Jerusalém pessoas piedosas de muitas nações. Ao se produzir o ruído do vendaval, a multidão se reuniu defronte a casa e ficou confusa, pois cada qual ouvia os Apóstolos em seu próprio idioma. Surpresos e admirados diziam: “Não são todos galileus (os galileus eram considerados pessoas rudes de pouca instrução) esses que falam? Como é que cada um de nós os ouve no próprio idioma?” (At 2,7-8)

Pedro, de pé com os Onze Apóstolos, falou ao povo anunciando a realização da profecia de Joel (Jl 3,1-5) e com toda eloquência lembrou-lhes a vinda de JESUS, o Messias, a sua grandiosa obra que ELE realizou, com milagres, prodígios e sinais provando que ELE estava com DEUS, que as obras que ELE fazia era pela Vontade do CRIADOR, objetivando a salvação de toda humanidade. Mesmo assim, Pedro gritou com ênfase, que o SENHOR não foi compreendido: foi preso, condenado, flagelado e morto numa Cruz, como o mais desprezível de todos os bandidos. DEUS, porém, o ressuscitou e agora, exaltado a direita do CRIADOR, recebeu do PAI ETERNO o ESPÍRITO SANTO, objeto da promessa e enviou-nos o mesmo ESPÍRITO, que agora derramou abundantes graças sobre nós. É isto o que vedes e ouvis. (At 2,1-41)

Ouvindo isto, sentiram o coração apertado de angústia e transpassado por uma terrível dor de culpa e perguntaram a Pedro: “Irmãos, que devemos fazer?” (At 2,37) Simão Pedro respondeu-lhes: “Convertei-vos, e seja cada um de vós batizado em nome de JESUS CRISTO, para a remissão dos pecados, e recebereis então, o dom do ESPÍRITO SANTO.” (At 2, 38)E naquele dia foram batizadas aproximadamente três mil pessoas.

O ALEIJADO DE NASCENÇA

Fundaram a primeira Comunidade Cristã. Os fieis acompanhavam com interesse os ensinamentos dos Apóstolos, à comunhão fraterna, à fração do pão e ás orações. Eram unidos e tinham tudo em comum, vendiam as suas propriedades e os seus bens, e colocavam o dinheiro nas mãos dos Apóstolos que dividia segundo as necessidades de cada um.

Certo dia, Pedro e João subiram ao Templo para a oração da tarde, quando presenciaram algumas pessoas carregando um aleijado de nascença que era colocado diariamente à porta do Templo, chamada Porta Formosa. O aleijado vendo Pedro e João entrarem, pediu-lhes uma esmola. Pedro o encarou e disse: “Olha para nós”. Ele olhou esperando receber alguma coisa. Pedro falou: “Não tenho prata e nem ouro, mas o que tenho, isto te dou: Em Nome de JESUS CRISTO NAZARENO, anda!” (At 3,3-6) E tomando-o pela mão direita, ergueu-o. O homem ficou de pé e começou a andar! Gritou de alegria, não cabia em si de tanto júbilo e andando, pulando, louvava a DEUS e todo o povo viu e testemunhou o admirável milagre. As pessoas que observavam foram se juntando a eles, e aquele que era aleijado, não se afastava dos dois Apóstolos, abraçava-os e elogiava Pedro e João, convidando as pessoas a conhecê-los. Pedro então, dirigiu-se ao povo e disse:

“Homens de Israel, porque vos admirais disto? Ou porque não tirais os olhos de nós, como se fosse por nosso próprio poder ou por nossa piedade que fizemos este homem andar?”

E fez um belo discurso explicando ao povo à vinda de JESUS, o FILHO de DEUS e o Autor da Vida, que eles mesmos mataram numa Cruz. Mas que DEUS o ressuscitou e ELE vive na glória do PAI ETERNO. E disse ainda: "Foi justamente a fé no nome de JESUS que fez este homem caminhar, completamente curado." E continuando a falar, disse:

“Entretanto, meus irmãos, eu sei que agistes por ignorância, assim como vossos chefes. DEUS, porém , realizou deste modo o que predissera pela boca de todos os profetas: que o seu CRISTO haveria de sofrer. Arrependei-vos, pois, e convertei-vos, a fim de que os vossos pecados sejam perdoados...” (At 3,17-19)

Ainda falava, quando vieram os sacerdotes e os saduceus contrariados com aquela pregação e mandaram os guardas do Templo prender os dois Apóstolos. No dia seguinte os levaram a presença do Grande Conselho Judeu. Depois de acirradas discussões e da autêntica defesa que Pedro fez iluminado pelo ESPÍRITO SANTO, eles não tiveram outra alternativa que colocá-los em liberdade, uma vez que ali mesmo, bem na frente deles, estava o homem que era aleijado de nascença e que todos conheciam, completamente curado.

Saindo dali, os Apóstolos continuaram com muito vigor, dando testemunho da Ressurreição de JESUS e da Obra grandiosa do FILHO DE DEUS em favor da humanidade. O número de fieis aumentava cada vez mais e eles viviam fraternalmente, sempre juntos e perseverando na oração.

GAMALIEL DEFENDE OS APÓSTOLOS

O Sumo-Sacerdote Caifás, cheio de inveja com o progresso dos cristãos, reuniu os membros de seu partido, a seita dos saduceus e decidiu mandar prender os Apóstolos e jogá-los na cadeia pública. Deu ordem aos soldados, que foram e prenderam os Apóstolos e os jogaram na prisão. Durante a noite, enquanto Pedro e os outros rezavam, o Anjo do SENHOR veio, abriu as portas do cárcere e depois de conduzi-los para fora, falou: “Ide anunciar com destemor ao povo no Templo tudo o que se refere a este Caminho”. (Caminho, significa a Mensagem de Salvação) (At 5,20) Os guardas apesar de se encontrarem acordados em seus postos, não viram nada.

No dia seguinte, os homens do Sinédrio mandaram buscar os prisioneiros e não encontraram ninguém, embora a prisão estivesse cuidadosamente fechada com as sentinelas nas portas. Todavia, alguém que havia passado no Templo, viu que os Discípulos de JESUS estavam lá ensinando normalmente, como se nada tivesse acontecido. Mandaram buscá-los. No Sinédrio as autoridades judaicas queriam acusar os Apóstolos de qualquer maneira. Todavia, levantou-se um fariseu chamado Gamaliel, que era doutor da Lei e muito respeitado pelo povo, moderadamente solicitou a atenção de todos para as suas palavras. Mandou que os Apóstolos saíssem por um instante e discursou para os membros do Sinédrio:

“Homens de Israel, vede bem o que ides fazer a estes homens. Há algum tempo surgiu Teúdas, que afirmava ser alguém, e aliciou mais ou menos quatrocentos homens. Foi morto e todos os que o haviam seguido debandaram e foram reduzidos a nada. Depois dele, na época do recenseamento, apareceu Judas, o Galileu, que sublevou muita gente em sua sequela. Pereceu ele também, e os que se haviam aliado a ele foram dispersos. Agora, portanto, eu vos digo, não vos ocupeis destes homens: deixai-os. Pois, se o seu intento ou a sua obra provém de homens, destruir-se-á por si mesma; mas se, ao invés, verdadeiramente vem de DEUS, não conseguireis arruiná-la. Não vos exponhais ao risco de combater contra DEUS.” (At 5,34-39)

Eles aceitaram o parecer de Gamaliel e colocaram os Apóstolos em liberdade, depois de castigá-los com açoite.

E todos os dias, no Templo, nas casas e nas praças, os Discípulos do SENHOR não cessavam de ensinar e anunciar a boa nova de CRISTO JESUS.

INSTITUIÇÃO DOS DIÁCONOS

Como cresceu muito o número de fieis, os Apóstolos reuniram a Comunidade com objetivo de escolher alguns cristãos, para ajudá-los no serviço:

“Não nos convém abandonar a Palavra de DEUS para servir às mesas (o Ágape e a Fração do Pão). Procuremos, entre vós irmãos, sete homens de boa reputação, repletos do ESPÍRITO e de sabedoria, e nós os colocaremos na direção deste ofício.” (At 6,2-3)

A proposta agradou a todos, e foram escolhidos: Estevão, Felipe, Prócoro, Nicanor, Timon, Parmenas e Nicolau, que foram os primeiros Diáconos da Igreja.

A Palavra do SENHOR era divulgada fervorosamente, atraindo um número cada vez maior de discípulos e sacerdotes judeus, que se convertiam ao cristianismo e obedeciam à fé.

 

 

Próxima Página

Página Anterior

Retorna ao Índice