INVENÇÃO DE DEUS

 

OS PROGRESSOS NA VIDA

É construtivo compreender que cabe a cada pessoa saber estimular os dons e as virtudes que o SENHOR ornou o seu espírito, de modo a aplicá-los vigorosamente no seu quotidiano, alcançando o proveito do conhecimento, objetivando aperfeiçoá-lo, a fim de ter maior êxito nos seus empreendimentos e trabalhos de cada dia. Só assim terá meios de evoluir e abrir a mente ao avanço tecnológico. O progresso será o reflexo imediato das vitórias e conquistas que forem alcançadas no trabalho dedicado e eficiente. Este procedimento faz parte e deve ser inerente a toda pessoa que busca consolidar o caminho da sua existência, não se esquecendo de buscar o equilíbrio psíquico, que é essencial para uma vida em plenitude.

EQUILÍBRIO UNIVERSAL

Os Planetas existem em quantidade admirável, cada um com sua órbita, dentro dos seus “Sistemas Planetários”, situados nos milhares de galáxias, e com suas funções específicas. O Céu cobre toda a imensidão do espaço sideral, dilatando-se infinitamente e cobrindo todos os astros, pelo incomensurável espaço Divino. Os astros, as constelações, as galáxias, as estrelas e os planetas, constituem o campo da humanidade. O Céu pertence aos bem-aventurados, para todos aqueles que cumpriram dignamente o programa e o ideal da sua vida com honra e fidelidade, e que se preocuparam, sobretudo, em estabelecer uma base de conhecimento e de bom relacionamento com o SENHOR DEUS, necessária a edificação de um profundo e sólido elo amoroso, que proporcionará alegria ao coração e desmedida felicidade ao espírito, permitindo-lhe rezar com o salmista:

“Ó SENHOR, de coração eu Vos dou graças, porque ouvistes as palavras dos meus lábios! Perante os Vossos Anjos vou cantar emocionado, e diante do Vosso Templo vou prostrar-me”.

CAMINHADA EXISTENCIAL

Todos estes fatos que ilustram o nosso conhecimento e nos infundem imenso júbilo, também nos lembra, que nascemos para a vida e existimos neste encantador mundo de DEUS pela Vontade DELE. O SENHOR nos inventou, permitindo que nascêssemos e nos dá continuamente, a oportunidade de crescer, de estudar, de trabalhar e desenvolver os conhecimentos, ensejando-nos a ocasião de construirmos e promovermos o “bem”, direcionando os nossos passos no caminho do direito, da justiça e do amor fraterno, exatamente na vereda que ELE deseja que trilhássemos, com objetivo de sermos vencedores, de ganharmos a coroa Divina da vitória, construindo o nosso cantinho no Paraíso de DEUS, pela magnânima e infinita bondade do SENHOR.

E como um maravilhoso presente que enriquece a nossa vida, todas as pessoas que procuram viver com fidelidade os Mandamentos Divinos se tornam um “amigo de DEUS” , e, portanto, perfeitamente habilitados a sentir e a perceber a intervenção Divina no seu quotidiano, na sua própria existência, auxiliando, inspirando principalmente nos momentos mais difíceis, proporcionando a inestimável ajuda auxiliadora e necessária. Nestas oportunidades, o SENHOR com indizível suavidade e doçura, derrama as suas preciosas graças inundando de júbilo os corações tristes, oprimidos e magoados, consolando e dando soluções aos problemas, concedendo a certeza da sua presença através daqueles maravilhosos e benéficos dons e virtudes, que produzem visivelmente na pessoa, o sorriso da vitória que acontece, e uma alegre e espontânea manifestação que traduz o sucesso e o bom êxito alcançado pela graça Divina.

RESPOSTA DE UMA VIDA

Certo dia, NOSSO SENHOR caminhando com seus Discípulos chegou ao Território de Cesaréia, depois de passar pelo Monte Carmelo, e lhes perguntou:

“Quem dizem as pessoas ser o FILHO DO HOMEM?” (Mt 16,13)

Os Discípulos responderam:

“Uns afirmam que é João Batista; outros dizem que é Elias; outros, ainda dizem que é Jeremias ou um dos Profetas”.

Então JESUS lhes perguntou:

“E vós, quem dizeis que EU Sou?”

No silêncio da região, aquela pergunta se propagou vertiginosamente no espaço e deixou os Discípulos meio confusos e inseguros, se preocupando mais em dar a resposta dos outros, do que propriamente a resposta do seu pensamento.

Considerando que a Sagrada Escritura deve ser utilizada para a reflexão e o exemplo a ser seguido, se meditarmos sobre este acontecimento, não será difícil sentir bem lá no fundo do coração que JESUS está fazendo esta pergunta no presente, na atualidade, naquela época aos Discípulos, e então, Simão Pedro entendendo o sentido do questionamento, e iluminado pela luz da sua fé e de tantos Ensinamentos e Milagres que presenciou, abriu o coração e num ímpeto de amor, pronunciou:

“SENHOR, Tu és o Messias, o FILHO DO DEUS Vivo”. (Mt 16, 16)

Em outras palavras: Pedro reconhece JESUS como o Messias, o SENHOR esperado, o FILHO do DEUS ETERNO que veio para socorrer e ajudar todas as pessoas, e quer dos seus filhos, o amor, a certeza e o conhecimento da Sua Pessoa Divina.

E desse modo, como os ensinamentos e as palavras do SENHOR são eternos, a pergunta de JESUS também está sendo dirigida no presente, a cada um de nós!

E nós, como vamos responder ao SENHOR? Com a mesma experiência da revelação Divina? Sim, por que saber quem é JESUS é saber segui-lo e testemunhar conscientemente a sua ação na nossa vida, e também, na vida dos nossos irmãos. Isto porque, só experimentamos a bondade de DEUS sendo bondoso com os outros; experimentamos a misericórdia do SENHOR na medida em que também nós praticamos a misericórdia; experimentamos o carinhoso e envolvente Amor Divino no amor que buscamos viver ao longo de cada dia. E deste mesmo modo, com o coração incendiado de amor, nossa atenção e carinhos se manifestam nas orações e nos sacramentos que recebemos, conscientes de que é assim que DEUS se revela em nossa vida, corrigindo as nossas fraquezas, nos purificando e nos ajudando nas necessidades, porque na verdade, tudo o que fazemos é “dom de DEUS” , e não mero resultado de nosso esforço pessoal. Assim deve ser o nosso entendimento e a nossa vida.

ESCLARECIMENTO SOBRE NOSSA CRIAÇÃO

Existem pessoas que não entendem corretamente a semelhança que DEUS NOSSO SENHOR estabeleceu entre nós e a Pessoa DELE. No Livro dos Gênesis na Sagrada Escritura está escrito: “DEUS criou o homem à Sua Imagem, à Imagem de DEUS ELE o criou, homem e mulher ELE os criou”. (Gn 1, 27)

A palavra “Imagem” tem proposto ao raciocínio de algumas pessoas, a idéia como se fosse de fato uma elaboração “igual”, como por exemplo, a realidade que acontece normalmente nas famílias: “a semelhança que existe entre um pai e os seus filhos”. Mas, o que o SENHOR afirmou, é a existência de uma “semelhança geral” quanto à natureza: “inteligência, vontade, poder”, mostrando que o homem (ou mulher) é uma “pessoa”, e como tal, poderá “participar da graça Divina”, desde que exercite e manifeste em todas ocasiões, ou diariamente, os dons que recebeu de DEUS no dia do seu nascimento e ao longo da sua existência, pelas graças e virtudes que o SENHOR derramou e derrama em nossa vida, essencialmente por Sua Infinita e Amorosa Bondade.

E tanto é assim, que no mesmo Livro do Gênesis, no versículo 26, está escrito: “Façamos o homem à Nossa Imagem, como Nossa Semelhança, e que ele domine sobre os peixes do mar, as aves do céu, os animais domésticos, todas as feras e todos os répteis que rastejam sobre a terra”. (Gn 1, 26)

Então, o SENHOR nos faz compreender que fez o homem e a mulher “numa imagem semelhante” a ELE, e para que existisse a semelhança, ELE nos deu uma alma para o corpo, excluindo desse modo, um “possível pensamento humano sobre a paridade”, isto é, eliminando algum equívoco que favoreça entender que a humanidade seja fisionomicamente “igual” a DEUS. Não, não é assim. As famílias se formam e se pode ver nos filhos de cada uma, a semelhança que existe com a face dos pais. Quanto à natureza humana com sua “inteligência, vontade, poder” faz lembrar certa semelhança com a Natureza do CRIADOR. E na verdade, o que imprime esta semelhança no ser humano é a “alma”, que é "invenção Divina" e que dá vida ao ser criado, sendo revestida com muitos dons e virtudes pelo SENHOR, antes de infundi-la no corpo humano, fazendo que o homem (ou mulher) seja uma “pessoa semelhante a ELE” , e como tal, apta a “participar da graça Divina”, pela Bondade Infinita do CRIADOR.

A ALMA

Ao nascer, toda criança recebe do SENHOR DEUS uma Alma que lhe “dá a vida”. Assim, a Alma é a responsável pela existência de cada ser, tanto na vida como na morte. Então, fica evidente que as coisas que fazem parte do Corpo humano, como por exemplo: os órgãos, carne, ossos e músculos, simplesmente constituem a “veste” da Alma.

Como complemento desta realidade acontece um fenômeno sobrenatural: a face da Alma assume os traços da fisionomia humana. Significa dizer, que a face do Espírito se torna a mesma face do Corpo que o “veste”.

Desse modo, Corpo e Alma, são duas partes inseparáveis de cada ser humano e ninguém existe sem elas, muito embora, individualmente elas tenham origens diferentes: a Alma é invenção Divina, e vem de DEUS e portanto, é a parte mais digna de cada pessoa. O Corpo nasce do relacionamento amoroso de nossos pais, e constitui o invólucro da Alma.

Todavia, Corpo e Alma se unem de tal modo singular, que formam uma união justa, perfeita e indissolúvel, enquanto existe vida.

Por isso mesmo, na missão do quotidiano, os cuidados no viver de cada pessoa, devem estar orientados em dois pontos básicos: atender em igualdade de condições as necessidades do Corpo e as necessidades da Alma.

Atendemos as necessidades do Corpo, todas as vezes que o cuidamos com uma alimentação adequada e sadia, com exercícios convenientes a cada idade, com o repouso reparador das energias, e todas as providências que protejam o Corpo no calor e no frio, sem excessos e com os evidentes cuidados.

Atendemos as necessidades da Alma, empenhando com seriedade nas orações de cada dia, na frequência a Santa Missa e aos Sacramentos, no exercício da caridade, da fraternidade e da piedade cristã, mantendo nossa Alma sempre unida a DEUS, que é o seu CRIADOR e o “seu alimento espiritual” de todos os dias.

Isto porque, se atendermos somente as necessidades do Corpo vamos "atrofiar" a Alma, pois tendo duas partes vitais (Corpo e Alma), só acionamos uma delas: o Corpo. Assim, mesmo que aparentemente tenhamos progressos financeiros e tenhamos muitos bens materiais, a existência será anormal, nossa vida estará incompleta.

Da mesma forma que o Corpo não vive sem o alimento material, a Alma "não vive" sem o alimento espiritual (orações, boas obras, etc.), ou seja, a Alma não têm "vida em plenitude", por que não tem o primordial alimento que é a presença de DEUS. Ela apenas existe... E Alma "sem vida", é o mesmo que um Corpo com um membro atrofiado. Ele "apenas existe", mas não funciona.

Uma pessoa que procura viver dentro da normalidade, se preocupando com as realidades do seu Corpo e da sua Alma, com certeza estará se conduzindo dentro dos melhores parâmetros, e por isso mesmo, poderá ter os seus aborrecimentos e tristezas no quotidiano, como condição normal a existência de todos nós. Mas nas dificuldades, ela sempre terá a Luz de DEUS, a iluminar os seus passos, a fim de inspirar e dar soluções aos seus problemas. E assim acontecendo, sem a menor dúvida, será uma criatura equilibrada e uma pessoa feliz.

Por outro lado, a Alma assumindo as feições do Corpo que a reveste, ela se integra perfeitamente nele, e desse modo, todas as sensações, alegrias e prazeres que o Corpo sentir, serão sentidos por ela, no mesmo instante e com o mesmo fervor. Da mesma maneira,  Alma e Corpo se mantendo completamente unidos, todas as tristezas e decepções que existirem, e também, todos os maus exemplos que forem cultivados por aquele a quem ela dá a vida, eles, o Corpo e a Alma daquela pessoa, assumem juntos toda a responsabilidade e por isso mesmo sofrerão as dificuldades causadas pelas fraquezas e ambições do próprio Corpo. Corpo e Alma permanecerão unidos em tudo, enquanto existir a vida.

Concluído o tempo da vida terrestre, seja pelo término da missão existencial ou por algum acontecimento que limite os dias da pessoa humana, conforme a Vontade de DEUS, acontece o óbito. Após a morte física, a Alma abandona o Corpo que permanece inerte e será sepultado ou cremado, enquanto ela, na companhia do seu Anjo da Guarda, caminhará definitivamente para a eternidade, onde apresentará a Justiça de DEUS, os frutos da sua vida terrestre.

 

PRÓXIMA PÁGINA

PÁGINA ANTERIOR

RETORNA AO ÍNDICE